ARTIGO. Jorge Pozzobom e o Hospital Regional, onde inicia a montagem dos anunciados primeiros 40 leitos

ARTIGO. Jorge Pozzobom e o Hospital Regional, onde inicia a montagem dos anunciados primeiros 40 leitos

ARTIGO. Jorge Pozzobom e o Hospital Regional, onde inicia a montagem dos anunciados primeiros 40 leitos - pozzobom-artigoLeitos do Hospital Regional estão ganhando forma

Por JORGE POZZOBOM (*)

Na semana passada, eu trouxe aqui, neste espaço, uma notícia que havia me dado uma certa tranquilidade: a informação de que o Governo do Estado havia garantido que os primeiros leitos do Hospital Regional seriam abertos ainda neste mês de abril. Na ocasião, relatei que, neste primeiro momento, seriam disponibilizados 40 leitos clínicos, e, posteriormente, mais 10 leitos de UTI. A garantia foi dada a mim pela secretária estadual de Saúde, Arita Bergmann. Pois bem, passada uma semana do anúncio, quero compartilhar com todos vocês que esses leitos, tão esperados por Santa Maria e pela Região Central, estão ganhando forma.

Serão 20 leitos clínicos abertos ainda em abril, e outros 20 no começo de maio. É para isso que estamos trabalhando incansavelmente. E, como é bom ver o resultado desse trabalho. Para a efetivação dos primeiros 20 leitos clínicos para pacientes em tratamento do coronavírus – um reforço significante de leitos pelo Sistema Único de Saúde (SUS) no combate à pandemia­ -, o Hospital Regional de Santa Maria já começou a receber o mobiliário. Na sexta-feira passada (3), funcionários do Regional receberam camas, colchões, poltronas, suportes para soro, bandejas, entre outros objetos. Esse material foi todo catalogado e, após, distribuído para os setores do hospital. O mobiliário era de uma clínica aqui da cidade e foi transportado pelo Exército em um conjunto de forças para a concretização dos leitos de retaguarda. A previsão é de que, nos próximos dias, a instituição de saúde receba novos materiais.

Antes de o mobiliário começar a ser levado ao Regional para dar forma aos primeiros leitos, ainda na quinta-feira (2) o hospital recebeu 48 aparelhos de ar-condicionado destinados pela Receita Federal. Esses equipamentos – outras unidades, também destinadas pela Receita Federal, irão se somar a esses 48 aparelhos nesta semana – farão parte da estrutura do Regional. Todo esse trabalho vem sendo feito em uma ação conjunta. Por exemplo, os aparelhos de ar-condicionado foram destinados pela Receita Federal, mas a instalação, que começou nesta segunda-feira (6), está a cargo do Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon) de Santa Maria. Contamos, ainda, com a parceria do Ministério Público Estadual e do Ministério Público Federal, instituições que muito têm nos ajudado nessa força-tarefa para abrir os leitos do Regional.

Para que o Hospital Regional receba toda essa estrutura, estão sendo realizadas adequações no prédio. E, para isso, foram repassados R$ 7,2 milhões de recursos públicos. Esse repasse foi assegurado por meio de um convênio assinado ainda em março, entre o Governo do Estado e o Instituto de Cardiologia – Fundação Universitária de Cardiologia (FUC), instituição que faz a gestão do complexo hospitalar.

Muitas pessoas têm me perguntado, e outras tantas vêm registrando críticas nas redes sociais, “por que só resolvemos nos mobilizar agora, em meio à pandemia de Covid-19, pela abertura dos leitos no Hospital Regional?”. Pois, respondo que isso não é verdade. Quem acompanha a minha trajetória à frente do Executivo Municipal sabe da mobilização e do trabalho que minha equipe e eu desenvolvemos para ver esse hospital funcionando a pleno, com leitos 100% SUS e atendimento de qualidade, o que já é referência em relação aos ambulatórios em funcionamento no complexo hospitalar.

Digo e repito: meu Governo está comprometido com a causa muito antes de estarmos vivendo essa pandemia de coronavírus. Fui a Brasília inúmeras vezes, justamente, para tentar garantir recursos para o Regional. Em abril do ano passado, participei de agenda com o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, para pleitear recursos que possibilitassem a abertura dos leitos. Aliás, agenda essa com o ministro que deu resultado, pois, graças a esse encontro em Brasília, a essa articulação constante junto à União e ao Estado, que garantimos a liberação de R$ 36,6 milhões para equipar o Regional. Converso sobre o Regional constantemente com o governador Eduardo Leite e com a secretária Arita.

Enfim, como santa-mariense e governante que sou, é claro que gostaria de ver esse importante hospital funcionando a todo o vapor desde sempre. Mas há entraves na gestão pública que tornam os desfechos muito mais morosos do que esperamos. A escassez de leitos pelo SUS é um problema de todo o Brasil, não apenas de Santa Maria. Aliás, a pandemia do novo coronavírus escancarou a fragilidade de leitos, principalmente os de UTI, mesmo em países mais desenvolvidos que o Brasil. A Europa está sofrendo com esse problema, países de outros continentes também estão enfrentando essa situação.

É óbvio que eu gostaria de ver o Hospital Regional funcionando a pleno antes mesmo da pandemia. Porém, não adianta chorar pelo leite derramado. O momento é de unir forças e lutar para que esse propósito seja alcançado logo. E ele será. Porque, a este Governo, não faltam coragem, empenho, seriedade e responsabilidade.

(*) Jorge Pozzobom é o Prefeito Municipal de Santa Maria. Sua trajetória como agente político começou com dois mandatos de vereador, tendo depois se alçado, pelo voto popular, à Assembleia Legislativa. Em meio ao segundo período, em 2016, foi eleito para conduzir o Executivo santa-mariense. Ele escreve no site às terças-feiras.

Observação do siteA foto (de João Alves, da Assessoria de Imprensa da Prefeitura Municipal) é da chegada de camas, colchões e outros equipamentos, ao Hospital Regional. Eles eram de uma clínica desativada na cidade .



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *