PrefeituraSaúde

REGIONAL. Hospital recebe o material doado por empresários: cinco respiradores e milhares de EPIs

Doação foi feita pelo Instituto Cultural Floresta e ajudará na agilidade de abertura dos leitos. Equipamentos chegaram nesta sexta-feira

Por MAURÍCIO ARAUJO (texto) e JOÃO ALVES (foto), da Assessoria de Imprensa da Prefeitura

A união de esforços das iniciativas pública e privada, junto aos governos do Estado e do Município, tem garantido a agilidade na abertura dos 40 leitos clínicos e, posteriormente, dos 10 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) no Hospital Regional de Santa Maria. Na tarde desta sexta-feira (17), uma carga de extrema importância chegou pelo Aeroporto Municipal e foi encaminhada à instituição de saúde. Nela, constavam cinco respiradores e milhares de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), como 10 mil máscaras e 100 protetores faciais. Neste sábado (18), chegarão mais 10 mil luvas.

A doação foi feita pelo Instituto Cultural Floresta (ICF), que fez uma campanha de doações para a compra dos materiais. O ICF é uma instituição sem fins lucrativo e é formado por empresários gaúchos, inclusive de Santa Maria, que contribuíram com valores para a compra.

O prefeito Jorge Pozzobom e o secretário municipal de Saúde, Guilherme Ribas, sabendo da importância da doação, foram até o Hospital Regional receber os materiais. Além de agradecer pela iniciativa do ICF e de outros parceiros, o chefe do Executivo lembrou que ações como essa estão agilizando a abertura dos leitos.

“Os esforços de diversas instituições e entidades têm nos ajudado neste processo de abertura dos leitos clínicos e intensivos no Hospital Regional. Essa é uma luta de todos nós que queremos e precisamos cuidar das pessoas, principalmente neste momento”, disse o prefeito Pozzobom

“Os equipamentos de proteção são essenciais para o cuidado com os profissionais da Saúde, e os respiradores são fundamentais para o tratamento da função respiratória das pessoas. Todas as doações são bem-vindas e irão ajudar muito no trabalho de combate ao coronavírus”, explicou o secretário Guilherme Ribas.

Até o fim do mês, conforme o Governo do Estado, serão abertos os leitos clínicos no Hospital Regional, que funcionarão como leitos de retaguarda para o tratamento da Covid-19.

De acordo com a coordenadora da 4ª Coordenadoria Regional de Saúde (CRS), Fabrícia Ennes, estão confirmados os 10 leitos de UTI no Hospital Regional. Apesar da chegada de outros cinco respiradores, está mantido o mesmo número, já que para a montagem de um leito de UTI é preciso uma série de equipamentos. Conforme ela, a chegada desses equipamentos garante ainda mais agilidade para a abertura dos leitos.

“Os EPIs e os respiradores vão colaborar para agilizar e antecipar o processo de abertura dos leitos clínicos e de UTI do hospital”, explicou a coordenadora.

PARA LER A ÍNTEGRA, NO ORIGINAL, CLIQUE AQUI.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Um Comentário

  1. Antigamente existia o ‘Onde está Wally’. Em SM não precisa procurar Cladistone está em todas.
    Quanto aos materiais, melhor esperar. Rede BullShitt divulgou na rádio que o sistema de saúde de NY teria sucumbido. Mentira pura e simples. Trump tinha enviado um navio com mil leitos. Ocuparam duas dúzias. Um centro de convenções transformado em hospital de campanha não foi utilizado. Necessidades por lá (talvez não na exata ordem) foram leitos, respiradores, equipamentos de proteção individual e profissionais de saúde. Outra coisa que é bem evidente nos EUA, em alguns lugares havia necessidade urgente de respiradores e em outros havia, desocupados, ‘em prontidão’.
    Quanto a falta de pessoal, no Brasil foram ‘criativos’. Ex-ministro atuou para que fosse antecipada a formatura de médicos e enfermeiros. 75% da carga horária do ‘estágio’ e está valendo. Contra a pandemia médicos e enfermeiros Miojo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo