BARRACO DA ALEMOA. Frida ZenKalo vai, é claro, à Câmara. E de lá traz suas impressões. Ah, e tem o PT

BARRACO DA ALEMOA. Frida ZenKalo vai, é claro, à Câmara. E de lá traz suas impressões. Ah, e tem o PT

BARRACO DA ALEMOA. Frida ZenKalo vai, é claro, à Câmara. E de lá traz suas impressões. Ah, e tem o PT - c749519a-barraco-seloIrmão de fé

Depois das cenas emocionantes em que o vereador Admar Pozzobom (PSDB), tentou, mas sem sucesso, defender na tribuna o seu ‘brother’, prefeito Jorge Pozzobom, ameaçado por uma comissão processante da Câmara, o que se comenta nos bastidores é que essa situação emocionante poderia gerar a reedição de uma novela global dos anos 1970: “Irmãos coragem”.

Quem quer, criar desordem…

Os Titãs cantavam lá pelos anos 80: quem quer, manter a ordem, quem quer, criar desordem? E na sessão plenária de terça, dia 3, quando se aprovou a formação de uma comissão processante para investigar o nosso brioso alcaide, Jorge Pozzobom (PSDB), um tumulto foi gerado com alguns edis querendo discutir o assunto, alegando que estava previsto na ordem do dia. Enquanto isso, o presidente, Adelar Bolinha Vargas, enfatizava que pelo regimento interno, não cabia discussão. Houve maldosos insinuando que, na realidade, o que havia sido divulgado era a “desordem do dia”.

Inspiração papal?

Depois de algumas rusgas internas a partir do estabelecimento de uma dobradinha do PT com o PSD de vice, parece que as coisas acalmaram. Mesmo que muito petista faça cara feia pelo fato de o pré-candidato a vice, Marion Mortari, ter um histórico, por exemplo, de ter aberto voto a Jair Bolsonaro em 2018, ou de ter sido um entusiasta defensor da vinda da empresa do sr. Luciano Hang para Santa Maria, a ordem da direção partidária é: “silêncio obsequioso” aos seus militantes. Inspiração no teólogo e hoje papa emérito, Joseph Ratzinger?



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *