COVID-19. Prefeitos da região buscam unificação do combate ao vírus. A reunião foi por videoconferência

COVID-19. Prefeitos da região buscam unificação do combate ao vírus. A reunião foi por videoconferência

COVID-19. Prefeitos da região buscam unificação do combate ao vírus. A reunião foi por videoconferência - 8dd8c875-prefeitura-videoconferência

Além de Pozzobom e prefeitos da região, também participaram da reunião virtual, os Ministérios Públicos Estadual, Federal e do Trabalho

Por JOÃO PEDRO LAMAS (texto) e ARÍELI ZIEGLER (foto), da Assessoria da Prefeitura

O prefeito Jorge Pozzobom reuniu para uma videoconferência, nesta quarta-feira (17), prefeitos da Região Central do Estado, bem como representantes dos Ministérios Públicos Federal, Estadual e do Trabalho, para discutir formas unificadas de combate ao coronavírus.

“Aumentou a velocidade de contaminação e, por consequência, de ocupação dos leitos hospitalares. Só ontem (terça-feira, 16), foram registrados dois óbitos na cidade por causa da Covid-19. Já são 10, no total, em Santa Maria. Há outros cinco na região. Estamos enfrentando uma situação delicada e precisamos fazer o nosso dever de casa. Somos 32 municípios que precisam trabalhar juntos, todos cuidando de todos”, afirmou o prefeito Jorge Pozzobom.

Pozzobom ainda relembrou que, no último final de semana, o Governo do Estado havia mudado a cor da bandeira classificatória de Santa Maria de laranja para vermelha, o que impunha restrições mais severas para diferentes setores da sociedade santa-mariense com repercussões negativas para, por exemplo, o comércio.

A medida buscava conter, de maneira mais enfática, a disseminação da doença, preservando a saúde de todos. No entanto, com sete leitos obtidos na sexta (12) para atender pacientes contaminados pela doença, que ainda não haviam sido computados, foi possível obter a classificação laranja para a bandeira quando o Governo do Estado os levou em consideração. Isso foi possível depois de reunião com o governador Eduardo Leite, junto de outros prefeitos do Estado, na terça-feira.

Apesar do resultado positivo da conversa com o Governo do Estado, Pozzobom emitiu novo decreto, na terça, com restrições mais leves do que as previstas pela bandeira vermelha, mas mais pesadas do que as anteriores em vigor na cidade, o que busca inspirar cautela na população.

“Há muita gente ainda que acredita que tudo já está voltando ao normal. Não vivemos uma situação normal. No Dia dos Namorados, foi possível ver os estabelecimentos cheios. Nas ruas, movimento como se não estivéssemos em uma pandemia. A reclassificação do Governo do Estado foi um alerta. Estamos em alerta. Se não nos cuidarmos, poderemos enfrentar uma situação onde não vai ter mais o que fazer. É necessário que as pessoas sejam conscientes. Usem máscara, evitem aglomerações, só saiam de casa para o que for realmente necessário”, pediu o prefeito Jorge Pozzobom.

Concorda com o chefe do Executivo Municipal a médica Jane Margarete Costa, infectologista que atua no Hospital de Caridade Astrogildo de Azevedo (HCAA) e integra o Centro Municipal do Covid-19.

“Como o prefeito disse, somos 32 municípios, e a rede de saúde em Santa Maria recebe pacientes de todos eles. Não há leitos para todos. Não há. A única forma de mantermos algum controle é adotando medidas preventivas, e elas são três: distanciamento social, higienização das mãos e utilização de máscaras. Não fazer isso é possibilitar o aumento no número de contaminados. Fazer isso é fundamental para que mantenhamos a nossa curva mais achatada”, disse Jane, fazendo referência à linha do gráfico formado a partir dos números de casos da doença na cidade.

A conversa via videoconferência foi acompanhada pelos Ministérios Públicos, que estão trabalhando junto com o Município no combate à Covid-19.

“A capacidade de propagação do vírus ainda é maior do que a nossa capacidade de enfrentá-lo, por isso, é importante trabalharmos juntos. Temos 111 leitos de UTI na nossa região. Mas, apesar de ampliarmos esse número, as equipes de saúde não têm aumentado, mas, sim, diminuído. São profissionais que têm deixado a linha de frente, seja por contaminação ou esgotamento. Então, além de termos um número limitado de leitos, há menos profissionais para atender pacientes. A conscientização da população, sua educação, é a saída de um cenário futuro catastrófico para um seguro”, disse a procuradora da República Bruna Pfaffenzeller.

Uma das iniciativas adotadas por Santa Maria para impedir, por exemplo, a aglomeração nas ruas, e que entrou em vigor nesta quarta, foi a proibição do consumo de bebida alcoólica, evitando, assim, a aglomeração de pessoas. No entanto, há casos de pessoas que estão indo para cidades vizinhas, como é o caso da quarta colônia, para evitar medidas restritivas impostas nas diferentes cidades do Centro do Estado. Por essa razão, houve a ideia de avaliar o que é possível unificar em termos de restrição, levando em consideração as especificidades de cada cidade.

Estiveram na reunião o secretário chefe da Casa Civil, Guilherme Cortez; a procuradora do trabalho, Bruna Desconzi; o promotor Fernando Barros; e os prefeitos Jocelvio Gonçalves Cardoso, de Formigueiro; João Vestena, de Júlio de Castilhos; Clovis Alberto Montagner, de Faxinal do Soturno; Carlos Augusto Brum de Souza, de Tupanciretã; Ademar Valentim Binotto, de Ivorá; Paulo Ricardo Salerno, de Restinga Seca; Rubemar Paulinho Salbego, de São Francisco de Assis; Lauro Scherer, de Toropi; Tiago Gorski Lacerda, de Santiago; Roberto Carlos Boff Turchiello, de Jaguari; e Sergio Roni Bruning, de Mata.

PARA LER A ÍNTEGRA, NO ORIGINAL, CLIQUE AQUI.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *