LÁ DO FUNDO. Despeitos trabalhistas, os vereadores d’antanho, Behr/Maretoli, encruzilhada de Pozzobom

LÁ DO FUNDO. Despeitos trabalhistas, os vereadores d’antanho, Behr/Maretoli, encruzilhada de Pozzobom

Por CLAUDEMIR PEREIRA (com imagens de Reprodução), Editor do Site

LÁ DO FUNDO. Despeitos trabalhistas, os vereadores d’antanho, Behr/Maretoli, encruzilhada de Pozzobom - 4eea7dcc-lá-do-fundo-jefferson

Até anteontem estava tudo bem, com Roberto Jefferson e tudo. O que mudou?

– Militantes ilustres do PDT, e também do PSB, publicamente minimizam a saída do PTB da Frente Ampla, Democrática e Trabalhista.

– Na sua razia contra os agora adversários chegam a lembrar, em postagens nas redes sociais, do notório falcatrua Roberto Jefferson, presidente nacional do PTB.

– O diabo é que, atentem bem, inclusive o Jefferson estava no pacote petebista até anteontem. E bastante incensado nas hostes dos frentistas. Caso claro de despeito, diria aquela senhora da rua F.

– Aliás, e por falar em PTB, é só da boca pra fora essa história de candidatura própria. Isso é impossível,  como sabe até o pasto que começa a luzir, depois da estiagem, nas terras do vereador Ovídio.

– Quer dizer, é possível, mas significaria abrir mão da possibilidade, já não tão facilitada, de reeleger o próprio edil para mais um mandato legislativo.

– Assim é que, são todos os indícios, a trilha está aberta para os petebistas caírem no colo da aliança cechino-francisquista (PP/MDB). E, tanto quanto na frente agora abandonada, no papel honroso de coadjuvante.

– A outra opção, viável mas mais difícil, seria abraçar a candidatura governista do tucano Jorge Pozzobom, muito provavelmente com Rodrigo Menna Barreto, do DEM, de vice.

– Resumo da ópera: o PTB, que tem, sim, sua importância, inviabilizado como solista na disputa majoritária, terá posição secundária, qualquer que seja a posição adotada.

– Como todo mundo está conversando com todo mundo (é o que dizem, e a gente acredita), melhor não descartar o papo do PTB com Evandro de Barros Behr (Cidadania) e Jader Maretoli (Republicanos).

– São os dois atores, Behr e Maretoli, que ainda não encontraram par, nessa novela pré-eleitoral. Alguns diriam, não sem alguma maldade, “antes sós que mal acompanhados”.

– Só que isso não combina com política, que é a arte da conversão. Vai daí que adversários nunca são eternos, por mais que se diga o contrário.

– Ou alguém imaginaria, hoje, uma união, como a RESGATADA pelo colunista José Mauro Batista, que tivesse, na mesma chapa, PT, (P)MDB, PPS (atual Cidadania), PSB, PSDB e PC do B?

LÁ DO FUNDO. Despeitos trabalhistas, os vereadores d’antanho, Behr/Maretoli, encruzilhada de Pozzobom - f1c9c765-lá-do-fundo-1992– A propósito, e para imitar o querido colega, este espaço resolveu resgatar a íntegra do resultado daquela eleição de 1992, também para a vereança.

– Na imagem que você vê acima está a nominata de vereadores eleitos pelo santa-mariense naquele ano já longínquo. Mesmo para os mais jovens, não dá uma certa inveja?

– E nem se está falando dos dois deputados (um deles também prefeito) que a lista renderia no futuro, senão que para a grande capacidade de debate e discussão de todos os demais.

– A destacar, lamentavelmente, que parte deles já morreu: Arnildo Muller, Adi Forgiarini, Pedro Santini, Antonio Costa, José Manoel Silveira Filho e Abdo Mottecy.

– Para fechar: Jorge Pozzobom entra num momento decisivo de seu mandato e que pode determinar as suas chances de reeleição em outubro (ou novembro, ou dezembro).

– O comportamento dele (até aqui elogiado mesmo pela oposição – ainda que esta, só nos bastidores) em relação à pandemia é o que está sob o escrutínio popular.



4 comentários

  1. Felipe Tavares

    Por que Bob Jeff é chamado de “notório falcatrua” enquanto seus companheiros de Mensalao como Lula e José Dirceu seguem tratados naturalmente, Claudemir?

  2. O Brando

    Lembrei dos jingles. Não sei o motivo. ‘Não sou bom, não sou sim/’Não sou bom, não sou sim/’Não sou bom, não sou sim/Santa Maria vai mixar, chafurdar, se f.’. ‘Ai de ti, ai de mim, ai de ti, ai de mim, a Estancia de São Pedro tá assim de graxaim’. Opa, acho que isto era musica, não jingle. ‘Lula lá, brilha uma moeda/Lula lá, cresce a negociata/Lula lá, o Brasil afunda’

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *