DestaqueEleições 2020

BASTIDORES. O PT e expulsão (?) de Daniel Diniz, carnaval e os candidatos, bairrismo e a campanha

Vereador petista havia dito que foi traído politicamente por lideranças da sigla

Caciques do PT acusam Diniz de infidelidade partidária devido às suas declarações pós-pleito do dia 15 (Foto Divulgação/Câmara)

Por Maiquel Rosauro

O Partido dos Trabalhadores (PT) abrirá, nos próximos dias, processo de expulsão do vereador Daniel Diniz (PT) por infidelidade partidária. O Site confirmou a informação com duas lideranças ligadas à sigla na noite desta quarta-feira (25).

Diniz pode perder o mandato, caso a Câmara de Vereadores seja comunicada pelo partido de sua expulsão. Porém, não há certeza se haverá tempo hábil. A atual legislatura encerra no dia 31 de dezembro.

Caciques da sigla consideram que o ciclo de Diniz no PT está encerrado. Logo após as eleições de 15 de novembro, no qual não conseguiu a reeleição, ele publicou nas redes sociais que foi traído politicamente por lideranças do partido (AQUI).

Carnaval

Os candidatos a prefeito de Santa Maria Jorge Pozzobom (PSDB) e Sergio Cechin (PP) participaram de uma reunião ampliada com lideranças das Escolas de Samba, na noite de terça-feira (24), no Boteco do Maré. O assunto girou sobre os planos dos prefeituráveis para o retorno do carnaval de rua.

Em 2021, tanto Cechin quanto Pozzobom afirmaram que é impossível realizar a festa popular devido à pandemia de covid-19. Porém, demonstraram boa vontade em diagnosticar os empecilhos que impedem a realização do evento.

No encontro, Pozzobom pediu desculpas por ter prometido, na campanha de 2016, que realizaria o carnaval em sua gestão. Ele não conseguiu cumprir a promessa.

Confira a reunião na íntegra:

Bairrismo

O vereador suplente João Kaus (PSDB), que não conseguiu se eleger para a próxima legislatura, publicou um vídeo no qual compara os dois candidatos a vice-prefeito de Santa Maria: Rodrigo Decimo (PSL) e Francisco Harrisson (MDB).

No entendimento de Kaus, Harrisson não é a melhor opção. O motivo: não é gaúcho e não teria conhecimento da cultura local.

Ambos foram colegas de bancada na Câmara de Vereadores por mais de dois anos, na atual legislatura. Kaus deixou o MDB na janela partidária no primeiro semestre deste ano.

Bisogno e Behr

Ao que tudo indica, o carioca Harrisson parece estar bem acostumado com os gaúchos. Na terça (24), ele fez campanha e um caminhão de som tendo ao seu lado os candidatos a prefeito no primeiro turno, Evandro Behr (Cidadania) e Marcelo Bisogno (PDT).

ATENÇÃO


1) Tua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Um Comentário

  1. Diniz não é o primeiro.
    Kaus, independente do assunto, não perdeu a oportunidade de mais uma vez falar bobagem. Não é a toa que não se reelegeu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo