DestaqueEleições 2020

ELEIÇÕES 2020. Levantamento aponta 30 pessoas trans eleitas no País. Três delas aqui no Rio Grande

Dois homens trans e 28 travestis e mulheres trans são vitoriosos nas urnas

Lins Robalo e Regininha e Yasmin Prestes, vereadoras eleitas de São Borja, Rio Grande e Entre-Ijuís (fotos de Reprodução)

Do jornal eletrônico Sul21 / Texto de Luís Eduardo Gomes

Em 2016, oito pessoas trans foram eleitas vereadoras e vereadores em todo o País. Nas eleições do último domingo (15), foram 30, um aumento de 275%, segundo aponta levantamento da Associação Nacional de Travestis e Transexuais (Antra).

Entre os que assumirão em 2021, estão dois homens trans e 28 travestis e mulheres trans, das quais sete candidatas foram as campeãs de votos em suas cidades: Linda Brasil (Aracaju-SE), Duda Salabert (Belo Horizonte-MG), Dandara (Patrocínio Paulista-SP), Tieta Melo (São Joaquim da Barra-SP), Lorim de Valéria (Pontal-SP), Titia Chiba (Pompeu-MG) e Paullete Blue (Bom Repouso-MG).

O pleito de domingo também trouxe a eleição de primeira pessoa intersexo — quem nasce com uma anatomia reprodutiva ou sexual que não se encaixa na definição típica de sexo feminino ou masculino — do País, Carolina Iara, eleita co-vereadora pela Bancada Feminista de São Paulo.

No Rio Grande do Sul, foram três mulheres trans eleitas. Lins Robalo (PT), que fez 678 votos em São Borja, sendo a única vereadora eleita pelo partido na cidade e a 12ª mais votada em geral; Regininha (PT), que fez 930 votos em Rio Grande, a 14ª mais votada da cidade; e Yasmin Prestes (MDB), que fez 260 votos e foi a 6º mais votada em Entre-Ijuís, município de cerca de 9 mil habitantes na região das Missões.

Travestis podem ser mais

A luta de Maria Regina da Conceição Moraes, mais conhecida como Regininha, não é de hoje. Começou a militar no movimento LGBTQI+ em 2010. Ela conta que, à época, sequer tinha completado o Ensino Fundamental, e que o processo de militância a ajudou a ter “outro olhar” para as vivências e existências da população trans e travesti.

“A minha história não é diferente da história da maioria das travestis e mulheres trans do nosso Brasil”, diz. “Esse movimento social acendeu em mim uma vontade de dialogar e debater de igual para igual”.

Voltou a estudar, concluiu o ensino fundamental, concluiu o ensino médio. Achou que era pouco, e, em 2015, fez o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Foi aprovada para o curso de Artes Visuais, mas viu que não era o que queria. Em 2018, ingressou no curso de Pedagogia da Universidade Federal do Rio Grande (Furg), com previsão de formatura em 2021…

Confira a lista das pessoas trans eleitas no último domingo:

Thabatta Pimenta – PROS – Canauba do Dantas/RN

Linda Brasil – PSOL – Aracaju/SE

Duda Salabert – PDT – Belo Horizonte/MG

Maria Regina – PT – Rio Grande/RS

Lins Roballo – PT – São Borja/ RS

Benny Briolly – PSOL – Niterói/RJ

Erika Hilton – PSOL – São Paulo/SP

Gilvan Masferre – DC – Uberlândia/MG

Thammy Miranda – PL – São Paulo/SP

(Co-Vereadora)Carolina Iara – Bancada Feminista do PSOL – São Paulo/SP

Kará – PDT – Natividade/RJ

Filipa Brunelli – PT – Araraquara/SP

Isabelly Carvalho – PT – Limeira/SP

Anabella Pavão – PSOL – Batatais/SP

Paulette Blue – PSDB – Bom Repouso/MG

Regininha Lourenço – AVANTE – Araçatuba/SP

Lorim de Valéria – PDT – Pontal/SP

Tieta Melo – MDB – São Joaquim da Barra/SP

Paulinha da Saude – MDB – Eldorado dos Carajás/PA

Rebecca Barbosa – PDT – Salesópolis/SP

Titia Chiba – PSB – Pompeu/MG

‪(Co-vereadora) Samara Santana – PSOL – Quilombo Periférico – São Paulo/SP

Brenda Ferrari – PV – Lapa/PR

Dandara – MDB – Patrocínio Paulista/SP

Yasmin Prestes – MDB – Entre-Ijuís/RS

Myrella Soares – DEM – Bariri/SP

Lari Camponesa – REP – Rio Novo do Sul/ES

(Co-vereador) Heitor Gabriel – PODE – Dialogue – Araçatuba/SP

(Co-vereadora) Rafa Bertolucci – PODE – Dialogue- Araçatuba/SP

Fernanda Carrara – PTB – Piraju/SP.

PARA LER A ÍNTEGRA, CLIQUE AQUI.

Artigos relacionados

ATENÇÃO


1) Tua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo