DestaqueEstado

COVID-19. Santa Maria permanece na bandeira vermelha do modelo de Distanciamento Controlado

Indicadores refletem o risco alto de esgotamento da capacidade hospitalar

Por Vanessa Kannenberg, Juliana Roll e Raiza Roznieski / Governo do RS

O Rio Grande do Sul segue, na 37ª rodada do modelo de Distanciamento Controlado, com alto risco de esgotamento da capacidade hospitalar e velocidade de propagação do coronavírus. Pela segunda semana consecutiva, o mapa preliminar do Estado, divulgado nesta sexta-feira (15), ficou quase todo vermelho.

Das 21 regiões Covid, apenas uma, Caxias do Sul recebeu bandeira laranja. As demais receberam bandeira vermelha, com alto risco epidemiológico.

Veja a classificação prévia da 37ª rodada em
https://distanciamentocontrolado.rs.gov.br

Para o total do Rio Grande do Sul, houve leve redução no número de confirmados em leitos clínicos (-4%) e em UTI (-3%), embora os números ainda sejam bastante expressivos – 1.102 em leitos clínicos e 847 em UTIs. Um dos piores indicadores é o número de óbito por Covid-19, que aumentou 18% entre as duas últimas quintas-feiras (de 421 para 497).

Mesmo com a expansão da rede de atendimento iniciada pelo governo do Estado em hospitais e municípios, devido ao aumento dos internados por outras causas, houve pequena elevação, nesta semana, no número total de leitos de UTI ocupados.

Em decorrência desse ainda pequeno aumento no total de leitos e a redução do número de pacientes confirmados com coronavírus em UTI, a razão de leitos livres para cada ocupado por Covid-19 ficou praticamente estável, em 0,71.

A equipe responsável pelo levantamento e monitoramento de dados do Distanciamento Controlado chama a atenção para o elevado crescimento de novos registros de hospitalizações por Covid-19 nos últimos sete dias, por local de residência, em algumas regiões.

Em Taquara, o número de internações aumentou, passando de 14 para 21 (50%) Santo Ângelo teve aumento de 12,7%; Guaíba de 10,7%; Pelotas, 10,7%; Cruz Alta, 7,1%; Santa Rosa, 6,7%; e Novo Hamburgo, 3,9%.

O Gabinete de Crise reforça que os protocolos específicos para cada bandeira não eliminam a necessidade de cumprimento dos protocolos obrigatórios previstos no Distanciamento Controlado e que devem ser respeitados em todas as bandeiras, entre os quais o uso de máscaras, distanciamento mínimo obrigatório e evitar aglomerações, além da higienização pessoal e de ambientes.

MUDANÇA DE BANDEIRAS

Laranja > vermelha
Macrorregião Missioneira: Ijuí e Santa Rosa

Nesta 37ª rodada, no mapa preliminar, Ijuí tem bandeira alterada de laranja para vermelha em decorrência do expressivo aumento de 83% no número de óbitos nos últimos sete dias (de 6 para 11). Também teve influência pela elevação dos indicadores da macrorregião missioneira: 21% no número de internados em leitos de UTI Covid; e 13% no número de internados por síndrome respiratória aguda grave (SRAG) em UTI.

Santa Rosa também teve alteração em decorrência dos indicadores da macrorregião, que somados aos individuais também elevaram em 14% o número de óbitos (de 7 para 8); 7% o de hospitalizações confirmadas para Covid-19 (de 15 para 16); e 7% o número de hospitalizações confirmadas para Covid-19 registradas por 100 mil habitantes (6,34 para 6,77), todos nos últimos sete dias.

Vermelha > laranja
Caxias do Sul

A região de Caxias do Sul tem sua bandeira alterada de vermelha para laranja nesta 37ª rodada do mapa preliminar pela redução expressiva de indicadores. Dentre os individuais se destaca a redução no número de óbitos nos últimos sete dias, que foi de 68 casos para 50. Hospitalizações confirmadas por Covid-19 tiveram queda de 25% (de 259 para 194), mesma porcentagem de redução no cálculo por 100 mil habitantes, que passou de 21,83 para 16,35.

Além disso, se destaca a redução de pacientes internados em UTI (por SRAG e por confirmados Covid-19) e de confirmados Covid-19 em leitos clínicos. Enquanto na 35ª rodada a macrorregião contava com 133 pacientes confirmados internados em leitos intensivo, na 36ª rodada o quantitativo passou para 101 e, na atual mensuração, reduziu para 78. Em leitos clínicos, nas últimas três semanas o quantitativo passou de 152 para 125, e para 113 na atual mensuração. A melhora resultou no aumento do número de leitos de UTI livres para atender Covid-19 e também na razão entre leitos livres para cada leito ocupado por paciente Covid-19.

Regiões em salvaguarda

Esta semana, a salvaguarda atuou nas regiões a seguir, as mantendo em bandeira vermelha: Capão da Canoa, Novo Hamburgo, Pelotas, Passo Fundo, Palmeira das Missões e Erechim. A nova regra, desde a 35ª rodada, garante bandeiras de risco alto e altíssimo (vermelha e preta) quando a região tem elevada quantidade de novas hospitalizações de pacientes confirmados com Covid-19 (conforme a região de residência do paciente) e, ao mesmo tempo, está inserida em uma macrorregião com baixa capacidade hospitalar.

Pela nova regra, válida desde a 35ª rodada, a região recebe bandeira vermelha nas seguintes situações:
• O Indicador 6, hospitalizações para cada 100 mil habitantes da região, apresentar bandeira vermelha ou preta;
• O Indicador 8, leitos livres/leitos Covid da macrorregião, estiver menor ou igual a 0,8.

COGESTÃO

As associações regionais e, excepcionalmente, os municípios que desejarem enviar pedido de reconsideração ao mapa preliminar têm prazo de 36 horas para enviar sua solicitação ao governo. O formulário online ficará disponível até as 6h de domingo (17/1) no link https://forms.gle/XuQdbcjw6VpXUFxT7.

O número de recursos recebidos será divulgado em notícia no site do governo na manhã de domingo. Os pedidos serão analisados pelo Gabinete de Crise e o mapa definitivo, divulgado também no site às 16h30 de segunda-feira (18/1). A vigência das novas bandeiras será de 19 a 25 de janeiro.

Caso a classificação prévia seja mantida, as 18 regiões em bandeira vermelha que aderiram ao sistema de cogestão regional podem adotar os protocolos próprios compatíveis até o nível de restrição da bandeira laranja. Guaíba e Uruguaiana estão em vermelho e não aderiram à cogestão, portanto, devem seguir os protocolos determinados pelo Estado.

A região de Caxias do Sul, classificada em laranja e participante do sistema de cogestão, pode utilizar protocolos de bandeira amarela, se estiver previsto no seu plano de cogestão.

Confira os protocolos próprios de cada região: https://planejamento.rs.gov.br/cogestao-regional

REGRA 0-0

De acordo com o mapa preliminar da 37ª rodada, 448 municípios (do total de 497) estão classificados em bandeira vermelha, somando 10,1 milhões de habitantes, o que corresponde a 89,5% da população gaúcha (total de 11,3 milhões de habitantes).

Desses, 157 municípios (658,3 mil habitantes, 5,8% da população gaúcha) podem adotar protocolos de bandeira laranja, porque cumprem os critérios da Regra 0-0, ou seja, não têm registro de óbito ou hospitalização de moradores nos últimos 14 dias, desde que a prefeitura crie um regulamento local.

• Clique aqui e acesse a lista de municípios que se encaixam na Regra 0-0

RESUMO DA 37ª RODADA

Regiões que apresentaram piora (2)

LARANJA > VERMELHA
Ijuí (em cogestão)
Santa Rosa (em cogestão)

Regiões que continuaram iguais (18)
VERMELHA
Bagé (em cogestão)
Cachoeira do Sul (em cogestão)
Canoas (em cogestão)
Capão da Canoa (em cogestão)
Cruz Alta (em cogestão)
Erechim (em cogestão)
Guaíba
Lajeado (em cogestão)
Novo Hamburgo (em cogestão)
Palmeira das Missões (em cogestão)
Passo Fundo (em cogestão)
Pelotas (em cogestão)
Porto Alegre (em cogestão)
Santa Cruz do Sul (em cogestão)
Santa Maria (em cogestão)
Santo Ângelo (em cogestão)
Taquara (em cogestão)
Uruguaiana

Regiões que apresentaram melhora (1)
VERMELHA > LARANJA
Caxias do Sul (em cogestão)

DESTAQUES DA 37ª RODADA

• número de novos registros semanais de hospitalizações confirmadas com Covid reduziu 20% entre as duas últimas semanas (1.567 para 1.256);
• número de internados em UTI por síndrome respiratória aguda grave (SRAG) reduziu 2% no Estado entre as duas últimas quintas-feiras (1.008 para 987);
• número de internados em leitos clínicos com Covid no RS reduziu 4% entre as duas últimas quintas-feiras (1.147 para 1.102);
• número de internados em leitos de UTI com Covid reduziu 3% entre as duas últimas quintas-feiras (869 para 847);
• número de leitos de UTI adulto livres para atender Covid reduziu 1% entre as duas últimas quintas-feiras (de 605 para 600);
• número de casos ativos reduziu 9% entre as últimas semanas consideradas (de 27.200 para 24.811);
• número de registros de óbito por Covid aumentou 18% entre as duas últimas quintas-feiras (de 421 para 497);
• regiões com maior número de novos registros de hospitalizações nos últimos sete dias, por local de residência do paciente, são Porto Alegre (252), Caxias do Sul (194), Passo Fundo (132), Canoas (98) e Novo Hamburgo (80).

Comparativo: situação entre 17 de dezembro de 2020 e 14 de janeiro de 2021
• número de novos registros semanais de hospitalizações confirmadas com Covid reduziu 8% no período (1.372 para 1.256);
• número de internados em UTI por SRAG reduziu 13% no Estado no período (1.140 para 987);
• número de internados em leitos clínicos com Covid no RS reduziu 16% no período (1.316 para 1.102);
• número de internados em leitos de UTI com Covid no RS reduziu 9% no período (935 para 847);
• número de leitos de UTI adulto livres para atender Covid no RS aumentou 30% no período (de 460 para 600);
• número de casos ativos reduziu 40% no período (de 41.409 para 24.811);
• número de óbitos por Covid acumulados em sete dias aumentou 1% no período (de 490 para 497).

Clique aqui e acesse o levantamento completo da 37ª rodada do Distanciamento Controlado.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo