AssembleiaEstado

ASSEMBLEIA. 24 horas após aprovação de projeto, deputado santa-mariense cobra compra de vacina

Valdeci Oliveira participou de reunião virtual da Comissão de Saúde da AL

Da Assessoria de Imprensa do parlamentar / Por Tiago Machado / Foto de Reprodução/AL

O deputado estadual Valdeci Oliveira (foto) não perdeu tempo e, um dia após a aprovação do projeto de lei que autoriza o governo do Estado a comprar vacinas contra a Covid-19 de forma direta, ele cobrou a ação da secretária estadual da Saúde, Anita Bergmann. A secretária esteve presente nesta quarta-feira (24) na primeira reunião do ano da Comissão de Saúde e Meio Ambiente da Assembleia Legislativa, a qual contou com a participação do presidente do Parlamento gaúcho, Gabriel Souza.

No espaço de perguntas da reunião, Valdeci perguntou a Arita se o governo do Estado já tinha uma data definida para a compra dos imunizantes. “Não temos como ficar dependentes do ´passo de tartaruga´ do governo federal quando precisamos muito mais agilidade neste processo”, enfatizou Valdeci.

SOBRE A FALA DA SECRETÁRIA, CONFIRA AQUI, MAIS TARDE, TODOS OS DETALHES

Na resposta a Valdeci, a secretária sinalizou que a vacina da Pfizer é a favorita para negociação com o governo gaúcho. “O governador Eduardo Leite está agendando uma reunião com a Pfizer, que é uma das possibilidades. O Ministério (da Saúde) diz que vai comprar toda importação e produção da União Química (que vai produzir a vacina Sputinik V). Então, nós vamos tentar investir na Pfizer. Estamos buscando vários caminhos. Mesmo que se viabilize a compra, seja ela direta ou importada, temos que ter a garantia da entrega com a rapidez que o momento exige. O governador já tomou a decisão de fazer essa compra, mas isso tem que ser feito com muita segurança, com preço compatível e com a eficácia necessária “, declarou Arita, sem, no entanto, anunciar prazo para a compra.

Outro questionamento feito por Valdeci foi acerca do estoque de oxigênio disponibilizado para os hospitais gaúchos, já que, em Manaus (AM), esse foi um dos fatores mais problemáticos recentemente. Ele também citou o caso do município gaúcho de Boqueirão do Leão, onde foi registrada falta de oxigênio. A secretária procurou tranquilizar o deputado e afirmou que semanalmente é feito um levantamento junto aos hospitais para saber dos estoques e para prever remanejamentos de uma instituição para outra, caso haja necessidade. “Temos documentos das produtoras e distribuidoras de oxigênio do RS informando que há estoque garantido”, garantiu ela.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo