DestaqueSanta Maria

COVID-19. Grupo protesta em frente ao condomínio de Jorge Pozzobom e reivindica volta às aulas

Carreata visa protestar contra as novas restrições anunciadas neste domingo

Por Maiquel Rosauro

O anúncio do prefeito Jorge Pozzobom (PSDB) sobre o novo decreto que suspende as aulas presenciais em Santa Maria, até 28 de fevereiro, causou uma forte reação de grupos contrários. Ao menos dois atos são promovidos.

Um deles é uma carreata que iniciou com uma concentração no Posto Santa Lúcia. O ato começou às 14h e se dirigiu para a frente do condomínio onde Pozzobom mora.

A vereadora Roberta Pereira Leitão (PP) está no local e transmite ao vivo pelo Facebook.

Também é promovido um abaixo assinado pelo retorno presencial das aulas. Confira aqui.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

2 Comentários

  1. Diria que no caso da educação a vaca foi para o brejo e levou o terneiro junto.
    Há relatos para todos os gostos, crianças que não querem mais voltar para a escola, outras (noutras cidades) que tiveram uma ou duas aulas e não querem mais voltar porque ‘já mataram a saudade’.
    Tem gente querendo mandar as crias de qualquer jeito e outros que não querem mandar de jeito nenhum. Daí cria-se um dilema, os que ficam em casa recebem ensino para inglês ver com aprovação automática e os de sala de aula no rigor da lei. O que leva a outra questão, engrenagem (quando for possível) vai demorar a entrar em movimento, não vai ser igual em todo lugar e é necessário discutir um currículo emergencial para que a recuperação não seja pro forma.

  2. Esta senhora de novo! Bolsonarista e negacionista! O governo municipal deve fazê-la assinar um documento se responsabilizando pelas contaminações e mortes daqui para a frente. Começou mal p mandato de vereadora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo