DestaqueSanta Maria

VÍDEO NOTA. Jogar para a torcida não resolve, quando o tema é Covid. E até pode dar processo

Decisão do TJ contra prefeito de Porto Alegre é didática e com reflexos locais

O prefeito de Porto Alegre, Sebastião Mello, pretendeu, com um decreto municipal, suplantar as restrições impostas por determinação estadual. Isso foi na noite de sexta-feira. Ao amanhecer de sábado, antes das liberações feitas pelo chefe do executivo da capital, o Tribunal de Justiça, provocado pelo Ministério Público, além de cassar o decreto municipal, determinou multa diária para a pessoa do prefeito, se a decisão não fosse cumprida.

Acima das paixões e desejos e vontades pessoais, há o “império da lei”, como disse o próprio Mello, na manhã da sabatina. Mas, mais que isso, a decisão judicial é didática. E tem tudo a ver com algumas

Ideias (sem juízo de mérito locais), especialmente no plano do Legisaltivo.

É sobre isso que trata a vídeo nota desta semana. Confira você mesmo, abaixo!

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Um Comentário

  1. Bagé foi pior. Lá no feudo dos Lara inventaram prioridades diferentes para a vacina, passaram o pessoal da segurança na frente. Irmão do secretario de todos os governos ‘arrumou para a cabeça’. Se falecer alguém e ficar provado que poderia ter sido imunizado(a) com vacinas que foram parar em outro lugar pode piorar a situação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo