CulturaDestaque

CULTURA. Um projeto, “Por Que Precisamos de Artistas?”, trata em livro do papel social da arte

Obra reúne avaliação de artistas e pesquisadores, inclusive de Santa Maria

Artistas, jornalistas e pesquisadores, inclusive de Santa Maria, expõem seu ponto de vista sobre o papel social da arte (fotos de Divulgação)

Da Assessoria de Imprensa do Projeto

Por que uma sociedade precisa de artistas? Quais são as funções  – se existe alguma – que os objetos e manifestações aos quais costumamos chamar de obras de arte cumprem efetivamente na vida das pessoas? Tais funções (se existem) são as mesmas em todos os tempos, lugares e culturas, ou admitem variações em diferentes contextos?

Essas são algumas questões que motivaram o projeto “Por Que Precisamos de Artistas?”. Por meio de uma coletânea de ensaios e crônicas originais escritos por profissionais gaúchos da área da cultura, incluindo artistas, produtores, pesquisadores e jornalistas, a iniciativa propõe discutir, sob diferentes perspectivas, a questão acerca do lugar da arte na sociedade.

Fortes: “todos têm em comum o envolvimento pessoal e profissional com arte e cultura, mas sob diferentes visões de mundo

Idealizado por Fabrício Fortes (professor e pesquisador na área de filosofia da música radicado em Porto Alegre), o livro, atualmente em fase de produção, conta com uma equipe de autores da capital gaúcha, de Santa Maria, de Caxias do Sul e de Esteio.

Entre os convidados, figuram os nomes de Hique Gomez, Simone Rasslan e Cláudio Levitan – velhos conhecidos dos palcos gaúchos -, o do rapper Rafa Rafuagi, da atriz Paula Souza, dos jornalistas Homero Pivotto Jr e Airton Tomazzoni – esse último também vinculado à área da dança -, dos artistas visuais Janaína Falcão e Michel Zózimo, do escritor, repórter musical e produtor cultural Márcio Grings, dos músicos Rafa Schüler e Ricardo Nicoloso, e do produtor cultural e historiador Atílio Alencar.

“Formamos um grupo muito plural em diversos aspectos: orientações estéticas, intelectuais, origem social, faixa etária, áreas de atuação. Todos têm em comum o envolvimento pessoal e profissional com arte e cultura, mas sob diferentes visões de mundo. Isso deu uma cara bem heterogênea ao trabalho, o que, na minha opinião, representa a própria diversidade da nossa sociedade” – observa Fabrício, que também assina a introdução do livro.

O projeto foi contemplado pela Lei Aldir Blanc, através do edital “Criação e Formação: diversidade das culturas”, promovido pela Secretaria Estadual da Cultura do RS e coordenado pela Fundação Marcopolo. Junto ao processo de criação dos escritos, foi formado um grupo de discussão entre os colaboradores, com reuniões remotas para trocas de ideias durante todo o período de execução.

“O intuito é construir uma obra robusta, capaz de promover a reflexão sobre o tema e de cumprir um papel transformador. Para isso não é suficiente que cada um escreva um texto, envie por e-mail e siga a vida. Os diferentes pontos de vista de cada pessoa, suas experiências, precisam ser confrontados, e por isso temos mantido um constante diálogo sobre a criação de todos os textos” – explica Fabrício.

Neste mês de setembro, o grupo finaliza a execução da fase de revisão dos textos e elaboração do projeto editorial, que será enviado a editoras gaúchas que possam ter interesse em lançar a publicação em formato físico. Segundo Fabrício Fortes, a ideia é que a obra chegue às livrarias até a metade de 2022, mas isso dependerá do modo como avançarão os trâmites editoriais.

Após a publicação, 30% dos exemplares impressos serão doados a acervos de bibliotecas públicas e organizações sem fins lucrativos voltadas para a área da cultura. Além disso, o lucro das vendas de exemplares no período de um ano será doado a uma organização de mesma natureza. Enquanto isso, é possível acompanhar a realização pelas redes sociais.

Durante todo o processo criativo, os passos do projeto, além de informações sobre os textos e seus autores, estão sendo compartilhados no Instagram @porqueartistas, que pode ser acessado pelo link: www.instagram.com/porqueartistas.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo