Artigos

Donzelas Guerreiras 6. Joana d’Arc – por Elen Biguelini

Heroína francesa, mártir católica, beatificada e canonizada. Mas, antes disso…

Excluindo-se Mulan, devido à adaptação da Disney de sua história, Santa Joana d´Arc é a donzela guerreira mais conhecida; especialmente no Brasil, com sua formação católico-cristã. Foi também tema de filme, o que tornou sua história ainda mais conhecida.

Joana d´Arc era uma camponesa francesa, filha de Jacques d´Arc e sua esposa Isabelle Romée, nascida cerca 1412. Em sua história, a vontade de guerrear se alia ao místico, através de sua relação com a religião, por meio das visões por ela recebidas, na qual o Arcanjo Miguel, bem como Santa Margarida e Santa Catarina, lhe diziam para participar da guerra que ficou conhecida como Guerra dos Cem Anos, em apoio àquele que seria nomeado Carlos VII.

Ela já ouvia as vozes divinas desde os 13 anos de idade, segundo seu relato inquisitorial. Aos 16 anos dirigiu-se a um mecenas, pedindo que fosse levada àquele que havia sido recomendada a apoiar.

Para poder participar da guerra, bem como viajar, portou trajes masculinos a partir daquela data até a sua morte. Assim, caracteriza-se como donzela guerreira, como as outras mulheres aqui apresentadas.

Sua participação e a vitória do exército de Carlos VII de França, assim como sucessivas vitórias e o apoio àquele que ela conseguiu auxiliar ao trono fez com que ela fosse aclamada como heroína francesa.

Mas assim que a sucessão de batalhas vitoriosas finalizou, sua imagem foi destruída perante aqueles que até então a aclamavam. Ela foi capturada por ingleses, com auxílio de franceses opositores, em 23 de maio de 1430 e foi julgada pelo bispo Pierre Cauchon. Foi sentenciada como culpada e morreu executada abaixo do fogo pouco mais de um ano após ter sido capturada.

Em 1456 esta sentença foi revista e ela foi declarada como mártir pela Igreja Católica. Foi beatificada em 1909 e canonizada em 1920. Em 1803, durante o governo de Napoleão, se tornou oficialmente um símbolo nacional da França.

A história e vida desta figura é bastante difundida. Recomendamos o filme de Luc Besson, de 1999, mas existem diversas opções de livros e filmes sobre esta donzela.

(*) Elen Biguelinié doutora em História (Universidade de Coimbra, 2017) e Mestre em Estudos Feministas (Universidade de Coimbra, 2012), tendo como foco a pesquisa na história das mulheres e da autoria feminina durante o século XIX. Ela escreve semanalmente aos domingos, no Site.

Nota do Editor: A imagem de Joana d’Arc, que ilustra este texto, é a reprodução de parte de uma gravura de Albert Lynch, produzida em 1903.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo