CulturaDestaque

SANTA MARIA. Conheça todos os vencedores do 1º Prêmio Maria Cult. Evento celebra a cultura local

Entrega dos troféus ocorrerá neste domingo (9), no Old School Pub, às 19h

Da Maria Cult – Agenda e Produtora cultural

A noite dessa quinta-feira (6) foi marcada pelo anúncio das obras e artistas destaques do 1º Prêmio Maria Cult. A cerimônia foi realizada de modo virtual, com transmissão simultânea pela página do Facebook da Maria Cult e no Facebook e canal do YouTube da Rede Sina. Durante a live, foram divulgados os selecionados pelo voto popular nos segmentos de Artes Cênicas, Artes Visuais, Audiovisual, Dança, Literatura e Música.

O lançamento da votação ocorreu em 16 de dezembro, com 85 indicações. Em 15 dias, o 1º Prêmio Maria Cult totalizou 34.043 votos, distribuídos em 19 categorias. O objetivo da ação foi ampliar a divulgação e valorizar as produções e artistas locais e celebrar a cena cultural independente de Santa Maria.

Confira a seguir os escolhidos pelo público.

ARTES CÊNICAS – ARTISTA DESTAQUE
Abrindo a cerimônia do 1º Prêmio Maria Cult, Juliet Castaldello foi o primeiro nome escolhido pelo público, com 25,7% dos votos, na categoria Artes Cênicas – Artista Destaque. Juliet é atriz, graduada em Artes Cênicas pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), iluminadora, diretora e integrante da companhia Teatro Por Que Não? (TPQN?).

ARTES CÊNICAS – COMPANHIA
E seguindo na categoria Artes Cênicas, a Companhia escolhida, com 38,5%, foi Teatro Por Que Não? (TPQN?). O grupo independente é formado por sete atores e diretores e está em atuação desde 2010. Sediada no Espaço Cultural Victorio Faccin, a companhia trabalha com espetáculos, cursos e eventos.

ARTES CÊNICAS – ESPETÁCULO
E encerrando o primeiro segmento do prêmio Maria Cult, o espetáculo mais votado, com 34% dos votos, foi Circular, da Umbigo de Bruxa. A apresentação buscou resgatar as memórias afetivas relacionadas a um brinquedo que atravessa gerações: o bambolê. A performance viajou pelos universos da terra, do ar, do fogo e da água, por meio dos círculos mágicos, de forma lúdica e sensível.

ARTES VISUAIS – ARTISTA DESTAQUE
Thais Oliveira foi a mais votada pelo público e levou o troféu do segmento Artes Visuais, na categoria Artista Destaque, com 40,1% da votação. Thais Oliveira é mestranda em Artes Visuais pela UFSM e na sua produção concentra-se em gravura e pintura em seus campos expandidos. Na pesquisa, aborda aproximações à cultura Afro-brasileira por meio da visualidade.

ARTES VISUAIS – EXPOSIÇÃO
A artista visual Thais Oliveira também recebeu o prêmio na categoria Exposição, com 35,2% dos votos. Em Aprox(si)mações: Visualidades Afro-brasileiras, Thais apresentou imagens que navegam entre a documentação da história e a realidade da ficção, com obras que seguem sua linha de criação e pesquisa. A exposição individual propõe uma tensão entre o afro e o brasileiro, com a problematização da noção de autenticidade como identidade, ao ressignificar fotografias do século XIX.

AUDIOVISUAL – CURTA-METRAGEM
E na categoria Audiovisual – Curta-metragem, a produção Esporas foi a mais votada pelo público, com 42,3%. A videodança, criada pelos bailarinos Helder Machado e Gustavo Dorneles, aborda a manutenção das masculinidades no contexto da cultura tradicional gaúcha. Entre conflito, ignorância e ingenuidade, Esporas explora diferentes manifestações dessas masculinidades e suas perturbações ao longo da vida.

AUDIOVISUAL – LONGA-METRAGEM
Dando continuidade às produções audiovisuais, o Longa-metragem Cia. Retalhos de Teatro, 25 anos recebeu 47,6% dos votos e levou o sétimo troféu do Prêmio Maria Cult. O documentário, produzido pela Retalhos de Teatro, celebra a trajetória da companhia, desde seu nascimento em 1995 aos dias de hoje, contado pelas vozes dos artistas que fizeram parte desta longa história.

AUDIOVISUAL – SÉRIE
Finalizando o terceiro segmento da premiação, com 41,7%, a Série escolhida pelo público foi Watermelon Diaries – 4ª temporada. Com direção e roteiro assinados por Gelton Quadros, a quarta temporada da websérie independente Watermelon Diaries abordou a convivência de um grupo de cinco amigos, que dividem espaço em uma república em plena pandemia. Em cinco episódios, a produção apresenta as situações que acontecem dentro desse contexto caótico.

DANÇA – ARTISTA DESTAQUE
Na Dança, após alcançar 31,8% dos votos, Karen Tolentino se consagrou na categoria Artista Destaque. Karen é bailarina, passista, educadora física e doutoranda em Educação, pela UFSM. A atuação da artista é voltada para o samba, a dança Afro-brasileira, a mulher e a estética negra.

DANÇA – COMPANHIA
Somando 33,5% dos votos, a Companhia que levou mais um troféu do segmento Dança foi Integração & Arte. O grupo faz parte do programa de extensão em Dança da Faculdade Metodista Centenário (FMC) e tem como objetivo proporcionar à comunidade vivência de diferentes linguagens de dança, acreditando na construção de um corpo híbrido.

DANÇA – ESPETÁCULO
Para fechar o quarto segmento do 1º Prêmio Maria Cult, Sozinho – Um lamento, uma espera, recebeu 35,1% dos votos do público e foi o escolhido na categoria Espetáculo. A peça de Helder Machado faz um relato sensível e simbólico sobre a angústia e o pesar que envolve um sentimento: a saudade. Sozinho é inspirada pela experiência de afastamento entre duas pessoas, provocada pelo isolamento social, que precisaram conviver com a ausência um do outro e sem expectativas de quando essa condição terá fim.

LITERATURA – ESCRITOR(A) DESTAQUE
Na Literatura, a categoria Escritor(a) Destaque foi concedida à Nikelen Witter, com 29,2% do voto popular. Historiadora, pesquisadora e professora universitária, Nikelen escreve desde criança, mas começou a publicar em 2011. De lá para cá, sua produção tem sido reconhecida como parte da chamada “terceira onda” da Ficção Fantástica no Brasil e a autora é uma das mais importantes representantes no país do gênero Steampunk.

LITERATURA – LIVRO
Na sequência de premiação em Literatura, a obra escolhida na categoria Livro foi Sossego, de Karina Maia, atingindo 40,2% dos votos. Sossego é um drama realista e atual, sobre personagens reais que buscam sobreviver em meio às adversidades do cotidiano da vida, numa comunidade carente. A história enquadra-se na Literatura Marginal ou Dramaturgia Marginal, um modo de trazer protagonismo às pessoas que fazem parte de uma parcela esquecida da sociedade.

MÚSICA – ÁLBUM OU EP
No último segmento do 1º Prêmio Maria Cult, o Álbum ou EP mais votado foi Quem São Elas, com 36,3%. O EP traduz literatura feminista em música e arte visual. Com três faixas autorais, o trabalho é assinado por Laura Fernandes e Filipe de Césaro. A obra traz ainda musicalização de três poemas de escritoras feministas, além de videoclipes.

MÚSICA – ARTISTA DESTAQUE
E na segunda categoria do segmento Música, Daiane Diniz é a Artista Destaque escolhida pelo público, com 29,9% dos votos. Daiane é vocalista da banda Rocksane, desde 2009, e, em 2021, levou o prêmio de Melhor Intérprete da 37ª edição do Festival de Músicas Carnavalescas e MPB e os troféus Xiru Vasseur e Canário na 28ª Tertúlia Nativista, ao lado de Tiane Tambara. A cantora também participou de diferentes projetos, como o Viva Santa Maria 2021 e Arte nas Janelas, com tributo ao ABBA, no Treze de Maio.

MÚSICA – BANDA OU GRUPO
Fio de Bigode recebeu 26,5% dos votos e levou o prêmio na categoria Banda ou Grupo. Formado por Igor Tadielo (voz e violão), Pablo Cardoso (voz e violão), Eduardo Abramson (acordeon) e Vanderson Rocha (bateria), o grupo de música regional gaúcha lançou seu primeiro álbum, Tradição Que Se Garante, no palco do Treze de Maio, em 2021.

MÚSICA – MÚSICA DESTAQUE
Com voz e letra de Tom Pessoa e participação especial de Arianne TeLima, A Grande Chuva ganhou o troféu de Música Destaque, somando 33,7% da votação popular. A canção, que compõe o EP Marionete Quebrada – Parte II, destaca a força dos orixás Xangô e Iansã, deuses cultuados nas religiões de matriz africana.

MÚSICA – VIDEOCLIPE
A Grande Chuva, de Tom Pessoa e participação de Arianne TeLima, também conquistou o prêmio de Videoclipe e fechou o último segmento da cerimônia. O clipe mais votado no 1º Prêmio Maria Cult, com 32,9%, foi construído através de uma campanha de financiamento coletivo e lançado em junho de 2021. A produção audiovisual tem direção e montagem de Phillipp Gripp.

REVELAÇÃO ARTÍSTICA
Encerrando a cerimônia do 1º Prêmio Maria Cult, o troféu de Revelação Artística foi para O Jeito Delas, com 29,7% dos votos. O grupo de pagode feminino O Jeito Delas é composto por Andressa Menezes (vocalista), Ina Bianchini (tantam) Taci Nunes (percussão geral) e Thainá Alves (pandeiro) e une em seu repertório o clássico e o atual. A banda fez seu show de estreia em outubro de 2021 e surgiu pela escassez de bandas de pagode feitas por mulheres.

ENTREGA DOS TROFÉUS
Após a cerimônia de anúncio dos vencedores, os escolhidos pelo público receberão um troféu do 1º Prêmio Maria Cult. A entrega ocorrerá neste domingo (9), às 19h, no Old School Pub, localizado na rua Coronel Niederauer, 1613. A entrada é gratuita e é necessário a apresentação da carteira de vacinação.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo