DestaqueEconomia

ECONOMIA SOLIDÁRIA. 28ª Feicoop retoma o seu formato presencial e espera mais de 60 mil pessoas

Evento internacional acontece em Santa Maria entre os dias 15 e 17 de julho

Distribuído pela Assessoria de Imprensa da Prefeitura Municipal

Faltam poucos dias para os olhos do mundo se voltarem para Santa Maria em termos de cooperativismo. Grande festa da economia solidária da América Latina, com o tema “Construindo a Sociedade do Bem Viver: por uma Ética Planetária”, a 28ª Feira Internacional do Cooperativismo (Feicoop) ocorrerá de 15 a 17 de julho, no Centro de Referência em Economia Solidária. A Prefeitura é apoiadora do evento com a destinação de emendas parlamentares, serviço de segurança, por meio da Guarda Municipal, e de organização do trânsito, por meio da Secretaria de Mobilidade Urbana.

“Santa Maria é referência mundial na economia solidária, e isso nos orgulha muito como prefeito e como cidadão santa-mariense. E estamos, mais uma vez, juntos ao projeto Esperança/Cooesperança nesta 28ª Feicoop. E muito felizes porque, em 2022, vamos poder estar de forma presencial novamente, nos encontrando, nos abraçando e celebrando esse evento maravilhoso. Tenho certeza de que Santa Maria vai receber os participantes de fora com muito carinho”, afirma o prefeito Jorge Pozzobom.

Para realizar um evento deste porte, a Feicoop tem auxílio de, aproximadamente, R$ 450 mil em emendas impositivas que chegam por meio da Prefeitura. A destinação vem dos deputados federais Paulo Pimenta e Elvino Bohn Gass, e dos vereadores Valdir Oliveira, Maria Rita Py Dutra, Ricardo Blattes, Paulo Ricardo Pedroso, Getúlio de Vargas e Tubias Calil. As emendas dos vereadores somam R$ 102.927,92.

Para José Carlos Peranconi, o Zeca, que coordena o Projeto Esperança/Cooesperança, a Feicoop trata-se de um grande espaço de articulação, debate, troca de ideias, experiências de comercialização solidária direta dos empreendimentos da economia solidária, da agricultura familiar camponesa, das agroindústrias familiares, dos catadores, dos povos indígenas, dos trabalhadores do campo e da cidade.

“Trabalhamos para realizar um grande evento presencial após dois anos de atividades online. Se levarmos em conta as inscrições de feirantes, estamos além das expectativas. São mais de 500. Estamos muito tranquilos na realização porque temos a experiência das edições anteriores, e o pessoal está vindo, apesar da situação financeira de muitas cooperativas estar complicada. Vão vir de muitas partes do Brasil, da Argentina e do Uruguai. Já temos muitos ônibus agendados para chegar. A gente também espera a adesão dos santa-marienses, que, geralmente, após conhecer a Feicoop, se tornam clientes do Feirão Colonial”, afirma.

Além da comercialização de produtos, a Feira será marcada por palestras, encontros, seminários e oficinas. O segmento cultural também se dará por meio de apresentações artísticas presenciais e online. A programação completa da 28ª Feicoop deve ser divulgada no início da próxima semana. 

Este ano, a 28ª Feicoop recebe, também, a 6ª Plenária de Economia Solidária, de 12 a 14 de julho, que deve reunir em torno de 300 pessoas de todo Brasil. 

O que é a Feicoop?
A Feicoop ocorre tradicionalmente no Centro de Economia Solidária Dom Ivo Lorscheiter, na Rua Heitor Campos, atrás da Basílica Nossa Senhora Medianeira. Nos pavilhões, o público poderá encontrar produtos hortifrutigranjeiros e de agroindústrias e artesanato, além de debates e painéis voltados à economia solidária. Realizada há quase 30 anos, a feira costuma atrair caravanas de outros Estados e países da América Latina. Segundo a organização do evento, na última edição, cerca de 60 mil pessoas passaram pela Feicoop.

A 28ª Feicoop é promovida pelo Projeto Esperança/Cooesperança, braço da Arquidiocese de Santa Maria; Prefeitura Municipal de Santa Maria; Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) e Instituto Federal Farroupilha (IFFar).

PARA LER NO ORIGINAL, CLIQUE AQUI.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo