Arquivo

Assembléia.Comissão avaliará criminalidade no campo. No plenário, denúncias do PSOL em debate

Mais uma vez, as denúncias feitas pelo PSOL, ainda que sem provas, envolvendo o episódio eleitoral de 2006, e denúncias de corrupção em torno da governadora Yeda Crusius, mereceram destaque na tribuna da Assembléia Legislativa, nesta terça. Inclusive porque, exceção feita ao PT, o Colégio de Líderes partidários recusou a proposta de pedir informações ao Ministério Público Federal.

 

Além disso, o destaque no plenário do parlamento gaúcho foi a aprovação, por unanimidade, da criação de uma comissão para avaliar e verificar a criminalidade no campo. A respeito desses e outros temas, acompanhe reportagem produzida pela Agência de Notícias do Legislativo. O texto é de Vanessa Canciam. A foto é de Marcos Eifler. A seguir:

 

“Aprovada Comissão de Representação Externa para analisar criminalidade no campo

Na Sessão Plenária desta terça-feira (3), a Assembleia Legislativa aprovou, por unanimidade (46 votos), o Requerimento 1/2009, que solicita a instalação de uma Comissão de Representação Externa para levantamento da criminalidade no campo. A proposição é de autoria do deputado Jerônimo Goergen (PP) e conta com a assinatura de mais 30 parlamentares. Temas como as denúncias feitas pelo PSOL envolvendo integrantes do governo estadual estiveram em debate na tribuna.

Ordem do Dia
De acordo com a justificativa ao Requerimento 1/2009, a Comissão de Representação Externa deverá levantar informações sobre a atuação das forças policiais e da segurança pública do Estado no combate e na repressão aos crimes cometidos nas propriedades rurais gaúchas. “É necessário que seja construída uma estratégia específica de segurança pública na zona rural, atualmente ineficiente para inibir a ação dessas quadrilhas, e restabelecer um mínimo de paz e tranqüilidade na zona rural”, afirma Goergen na justificativa.

Tribuna
O líder da Bancada do PT, deputado Elvino Bohn Gass (foto), disse estar insatisfeito com a decisão tomada pelo Colégio de Líderes, nesta terça-feira (3). A representação das bancadas, em sua maioria, rejeitou a proposta de Bohn Gass para que a AL solicitasse ao Ministério Público informações sobre as denúncias feitas pelo PSOL, envolvendo integrantes do governo estadual.  “Nós, deputados, fomos eleitos e o povo lá fora está cobrando a nossa responsabilidade, que é a de proceder a fiscalização frente às denuncias, em se tratando de denúncias tão graves. Eu, infelizmente, não tive a compressão dessa proposta das bancadas do PSDB, do PP, do PTB e do PPS. Me estranhou muito que a Bancada do PMDB não tenha concordado conosco”, disse.

O deputado Alceu Moreira (PMDB) defendeu que é preciso analisar com cuidado qual é a natureza da atual crise mundial, uma vez que se trata de uma crise não “homogênea” para todos os setores. “Os mercados serão reacomodados. É preciso redefinir a educação consumista do mundo. O Brasil precisa estar readequado a este momento”, disse. Moreira também se manifestou, com relação às denúncias do PSOL envolvendo integrantes do governo.  “Quero dizer com toda a clareza: o ônus da prova é de quem acusa. E se há um papel que esta Casa não tem é o…”

PARA LER A ÍNTEGRA, CLIQUE AQUI.

 

SUGESTÃO DE LEITURA – confira aqui, se desejar, também outras reportagens produzidas e distribuídas pela Agência de Notícias da Assembléia Legislativa.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo