Eleições 2010Partidos

ELEIÇÕES 2010. Por que (também) é importante para Dilma ter apoio formal do PMDB

Dilma, com PMDB e acessórios, até 70% do horário na TV
Dilma, com PMDB e acessórios, até 70% do horário na TV

Não há um só observador político medianamente informado (e até nem muito informado) que desconheça o fato de o PMDB ser uma constelação de partidos que se mobilizam conforme a conveniência política da hora e do espaço geográfico. Assim, objetivamente, nenhuma outra agremiação conseguirá a adesão total do peemedebismo. Taaalvez, uma maioria. Ainda assim, será limitada. Aqui mesmo, em Santa Maria, para ficarmos na comuna, há gente do partido que fecha com Dilma Rousseff. Pouca gente, mas há. E a maioria é antipetista, até com algum ranço. Mas não é isso que está em jogo.

Então, o que motiva tanto o PT em geral e Dilma (e Lula) em particular a assediar e querer o apoio formal do PMDB? E mais: com o peemedebismo, inclusive por inércia, outras siglas (mais ou menos) importantes poderiam se aproximar? A explicação está em artigo assinado por Fernando Rodrigues, na Folha de São Paulo, reproduzido pelo jornalista Ricardo Noblat. A foto é de Wilson Dias, da Agência Brasil. A seguir:

A maldição do PMDB

Faltam menos de 12 meses para a eleição de 3 de outubro de 2010. Todos os políticos já estão em seus partidos definitivos. Agora, as conversas sobre alianças vão se concentrar sobre o mais relevante: quem terá mais tempo de TV no horário eleitoral.

Quando Lula insiste no plano de ter o PMDB apoiando Dilma Rousseff para presidente, o interesse é o tempo de televisão que os peemedebistas podem oferecer. Nada mais. Até porque Michel Temer ou Henrique Meirelles, possíveis vices de Dilma, têm pouco a contribuir em termos de votos.

Essa é a razão do preço altíssimo pago por Lula até agora para manter viável essa possibilidade inédita de aliança no plano nacional entre PT e PMDB. Os peemedebistas dobram o tempo de Dilma na TV em 2010.

Como poder atrai poder, outras siglas tendem a se animar a ingressar nesse condomínio. Nas contas otimistas do comando petista, a candidatura governista ao Planalto pode ficar com algo entre 50% e 70% de todos os comerciais na campanha televisiva em 2010.

Seria um rolo compressor difícil de ser superado, sejam quais forem os concorrentes. Na ponta pessimista dessa estratégia petista está a dificuldade histórica de o PMDB conseguir se acertar nacionalmente para…”

PARA LER A ÍNTEGRA, CLIQUE AQUI.

SUGESTÃO ADICIONAL – confira aqui, se desejar, também outras notas e artigos produzidos e/ou comentados pelo jornalista Ricardo Noblat.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo