CongressoJornalismoSupremo

JORNALISMO. Bancada da mídia dá as caras, apresenta voto em separado e adia votação de parecer pró-diploma

Reunião da CCJ, da Câmara: mídia grandona e seu deputado evitaram votação de parecer
Reunião da CCJ, da Câmara: mídia grandona e seu deputado evitaram votação de parecer

Alguém de vocês já ouviu falar em Zenaldo Coutinho? Nem eu. Mas ele apareceu nesta quarta-feira, na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara e apresentou voto em separado ao parecer do pernambucano Maurício Rands, favorável à Proposta de Emenda à Constituição do deputado (e jornalista) santa-mariense Paulo Pimenta (PT), que restabelece a necessidade de diploma de curso superior para o exercício do jornalismo.

Coutinho, um obscuro representante do PSDB do Pará é, na verdade, o ponta de lança da mídia grandona na CCJ. E seu objetivo único é impedir a aprovação. Por enquanto, uma vitória dele e daqueles por quem ele fala: a votação acabou adiada, em princípio, para a próxima semana.

Sobre isso, e também os próximos passos a serem dados, inclusive uma visita ao presidente do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes, acompanhe material produzido pela assessoria de Pimenta. A foto é de Elton Bomfim, da Agência Câmara de Notícias. A seguir:

Zenaldo Coutinho (PSDB) apresenta voto contrário a PEC dos Jornalistas

O deputado federal Zenaldo Coutinho (PSDB-PA) apresentou, na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), voto em separado contra a PEC dos Jornalistas. Em sua justificativa adversa à exigência da formação superior em jornalismo, Coutinho demonstra estar alinhado com a Associação Nacional dos Jornais (ANJ) e com os grandes empresários da comunicação brasileira, já que utiliza os mesmos argumentos das entidades patronais na tentativa de evitar que prosperem as iniciativas em favor do diploma de jornalista no Congresso Nacional.

A estratégia da ANJ e de deputados conservadores é impedir que a PEC dos Jornalistas seja analisada e aprovada na CCJ. A tática ficou evidenciada quando na semana passada alguns dos mais importantes jornais do país romperam o silêncio sobre o assunto, dedicando parte de seus editoriais apenas à opinião da Presidente da ANJ, Judith Brito.

Autor da PEC dos Jornalistas, o deputado federal Paulo Pimenta (PT-RS) classificou como um tipo de “censura” tanto a prática da grande mídia, que restringe o acesso ao debate quando concede espaço somente a uma versão dos fatos, como a tentativa de barrar a votação da Proposta na CCJ. “É estranho que aqueles que se dizem defensores da liberdade de expressão revelem na prática exatamente o inverso, manipulando e restringindo a discussão. Desde que se começou a cogitar a votação da PEC na CCJ, iniciaram, estrategicamente, movimentos para impedir a análise da Proposta, o que considero uma prática anti-democrática”, critica.

Pimenta informa ainda que, juntamente com o relator da PEC dos Jornalistas na CCJ, deputado Maurício Rands (PT-PE), com a líder da Frente Parlamentar em defesa do diploma na Câmara, deputada Rebeca Garcia (PP-AM), o deputado Mauricio Quintella Lessa (PR-AL) e membros da Fderação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) , será estabelecida uma prática de trabalho para colocar em votação, na próxima quarta-feira (4), a Proposta na Comissão. No mesmo dia, os deputados Paulo Pimenta, Maurício Rands e Rebeca Garcia serão recebidos pelo Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, para discutir uma alternativa à decisão do dia 17 de junho da Suprema Corte brasileira.”

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Um Comentário

  1. É COM CERTEZA ESSE COUTINHO FEZ O QUE O PSDB FAZ!
    SOCIAL DEMOCRACIA NÉ PRESIDENTE SEIXAS!
    E agora o que mais vão inventar! Claudemir acho que tem que lutar por uma PEC de acabar com o diploma , porque hoje em dia a gente fica 5 anos na faculdade, gasta o que não tem e quando vai procura um emprego eles coloca um um técnicoa na sua área para poder pagar menos e fazer dele um pelego de chão de fábrica!
    AÍ MINHA GENTE O QUE ADIANTA ESTUDAR!
    que sacanagem com os jornalistas, ta certo que eu adoro escrever mas para fazer disso uma profissão tem que estudar e se especializar porque senão fala só besteira!
    Vou coloca um açougueiro pra trabalhar como médico é mais barato e no fim o corte é o mesmo porque a facada é grande no bolso depois!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo