SÍTIO E SITE. Máucio e os poderes da língua. Ou quando bicicleta vira “byke”

“…Não é uma questão de ser xenófobo, é apenas uma preocupação com um dos elementos mais preciosos da identidade nacional, a nossa Flor do Lácio. Não basta cuidar só do petróleo. Afinal, não dizem que o inicio é o verbo? Caso continue assim, daqui um tempo poderemos ter uma Torre de Babel na nossa própria morada. E olhe que entendo que toda a língua é um ente dinâmico e mutante, mas tudo tem um limite.

Distraídos substituem palavras portuguesas como quem troca de tênis. Bicicleta virou byke. Panfleto virou flying. Dança virou dance. Bauru virou cheese. Ética no esporte virou fair play. Livro de fotos virou book. Brinquedo virou toy. Texto acadêmico virou…”

CLIQUE AQUI para ler a íntegra da crônica “Os poderes da língua”, de Máucio, colaborador semanal deste sítio. O texto foi publicado há instantes, na seção “Artigos”. Máucio (Mario Lúcio Bonotto Rodrigues) é cartunista e professor de design no Curso de Desenho Industrial/ CAL- UFSM.  É Bacharel em Comunicação Visual/ UFSM e Mestre em Comunicação/ UFRGS.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *