Eleições 2010EstadoMinistério PúblicoSegurança

ESTADO. O caso do sargento bisbilhoteiro e o novo conflito de Yeda. Agora, com o MP

O difícil, nessa época pré-eleitoral de tantos engajamentos ou, no mínimo, o “medo de se comprometer” que abate a mídia mais que em outras épocas, é encontrar algum texto em que se possa acreditar  mesmo eventualmente discordando.

Fui encontrar no (excelente) jornal eletrônico Sul21 o que me pareceu ser algo em que confiar. Por exemplo, foi ali que li (pode estar em outros lugares, mas não notei) que o número de personalidades acessadas pelo sargento bisbilhoteiro do Piratini pode chegar a 80. Uau!

E também foi na reportagem de Felipe Prestes que encontrei um relato mais ou menos do que se aproximaria à realidade factual É por isso que tomo a liberdade de reproduzir, pelo menos um trecho, do que é mais um episódio de absoluto confronto entre uma autoridade, o Poder Executivo, representado por Yeda Crusius, e outra, o Ministério Público, através do Promotor de Justiça Amilcar Macedo. Acompanhe. E, se conseguir, faça teu próprio julgamento. A seguir:

Associação do Ministério Público acusa governadora de “manobras intimidatórias”

A Associação do Ministério Público (AMP) saiu em defesa, nesta terça-feira (14) do promotor Amilcar Macedo em seu atrito com a governadora Yeda Crusius, que movimentou o Twitter na segunda-feira (13). AMP afrima em sua nota que “não medirá esforços para cessar quaisquer manobras intimidatórias”. O caso de uso indevido de sistema de informações e extorsões a operadores de jogo ilegal pelo ex-funcionário da Casa Militar, o sargento da BM César Rodrigues de Carvalho, transformou-se numa troca de farpas e acusações. Com mais de um ano de atraso – o então uvidor da Segurança Pública Adão Paiani denunciou o uso indevido dos sistemas Guardião e Consultas Integradas em março de 2009 – o governo do estado decidiu agir para cessar estas práticas, anunciando reestruturação da Casa Militar.

Apesar da falta de informações, o trabalho de investigação segue acontecendo. O promotor Amilcar Macedo declarou à Rádio Guaíba nesta segunda-feira (13/9) que a investigação já chegou a mais de 95 mil acessos do sargento. A lista de personalidades investigadas pode passar dos 40 nomes já divulgados para 80. Os novos nomes, contudo, não foram divulgados. Nesta quarta-feira (15/9), César Rodrigues deve ser ouvido novamente. Vistorias em automóveis da Casa Militar foram realizadas na segunda-feira (13/9) e geraram uma das celeumas que vêm ocorrendo nesta semana…”

…Quem sentiu na pele o fechamento da Casa Militar foi o promotor criminal Amilcar Macedo. Também na segunda-feira, o promotor foi até o Piratini portando ordem judicial para vistoriar veículos da Casa Militar que poderiam ter sido utilizados pelo sargento César Rodrigues de Carvalho para praticar extorsão. Macedo demorou mais de uma hora para conseguir ingressar na Casa Militar. Sua espera atraiu a atenção de jornalistas. E os holofotes geraram críticas por parte da governadora Yeda Crusius.

Em seu Twitter, Crusius criticou “abusos” de promotores do MPE “ou mesmo de agente do tribunal de justiça. Colocam insegurança aos cidadãos”. Para a governadora a ação de Amilcar, com mandado expedido pela Justiça, mostra ou “despreparo desses agentes” ou “síndrome dos holofotes”. A tucana ainda pediu um basta com o que chamou de “cenas preparadas e programadas, com ações espetaculosas acompanhadas por dezenas de repórteres e câmeras de televisão”. A governadora anunciou também que determinou à Procuradoria Geral do Estado que tome “ações cabíveis para representar contra erros funcionais de…”

PARA LER A ÍNTEGRA, CLIQUE AQUI.

SIGA O SITÍO NO TWITTER

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Um Comentário

  1. Esse tipo de arapongagem no RS é muito antiga,esse sgt é só um acidentado que foi pego,colegas dele já faziam isso ,infelismente alguns desse time e olha que não são poucos, arvoram para si um papel acima do estado de direito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo