CongressoPolítica

ACREDITA? Congressistas juram que reformas política e tributária são prioridade

A opinião do editor deste sítio vai de pronto: não. Isso mesmo: não acredito. A reforma política não sai porque vai contra o interesse dos que se elegeram. Muitos deles, no caso de mudanças, simplesmente não estariam na Câmara dos Deputados ou no Senado.

Quanto à reforma tributária, o busilis é outro. Nenhum Estado, muito menos a União, quer perder receita. E se tudo for conforme o figurino, alguém vai perder. Portanto, inviável.

Para uma e outra se concretizarem, só de um jeito: uma constituinte exclusiva, em que os constituintes eleitos tratassem apenas dessas reformas, e depois iriam para casa. Do contrário, nada feito.

Mas, então, por que a maioria diz ser as duas reformas a sua prioridade? Bueno, caso médico, talvez. Ah, quem trata do assunto, trazendo a público essa suposta disposição dos parlamentares eleitos em outubro, é o muito bom sítio especializado Congresso em Foco. A reportagem é de Rudolfo Lago. Confira:

Congresso quer fazer reforma política

Eterno compromisso nunca assumido de fato, a reforma política tem finalmente chances reais de sair do papel em 2011. Apontada como prioridade na agenda da presidenta Dilma Rousseff, ela agora conta com o apoio também dos parlamentares que formarão o novo Congresso, a partir de 2 de fevereiro. É o que revela pesquisa do Instituto FSB, cujo conteúdo foi obtido pelo Congresso em Foco.

Realizada desde 2008, a pesquisa do Instituto FSB tem como objetivo inicial verificar os hábitos e preferências dos deputados e senadores na sua relação com a mídia. Essa parte da pesquisa já foi publicada por outros veículos. Mas, além disso, o instituto resolveu pesquisar junto aos parlamentares o que eles pretendem priorizar na agenda legislativa para este ano. É essa parte da pesquisa que o Congresso em Foco publica agora com exclusividade.

A pesquisa demonstra sintonia entre as prioridades eleitas por Dilma e as escolhidas pelos deputados e senadores. De forma espontânea, 66% deles estabeleceram a reforma política como tema prioritário de votação no primeiro semestre. E 49% escolheram a reforma tributária. São também essas duas reformas as prioridades eleitas pelo Poder Executivo. Dez por cento apontaram o Código Florestal e 7% a PEC 300, que estabelece o piso salarial dos policiais militares e bombeiros…”

PARA LER A ÍNTEGRA, CLIQUE AQUI.

SIGA O SITÍO NO TWITTER

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Um Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo