EducaçãoTrabalhoUFSM

GREVES. Na UFSM, técnicos bloqueiam o CPD. E o governo decide endurecer, para “garantir os serviços”

Grevistas bloqueiam CPD na UFSM. É óbvio o prejuízo ao funcionamento da instituição

Desde o início da manhã, técnico-administrativos da UFSM bloqueiam a entrada e, na prática, impedem o funcionamento do Centro de Processamento de Dados da instituição. O que isso significa? Conforme MATERIAL da assessoria de imprensa do sindicato da categoria, “o CPD tem a atribuição de, entre outras funções, gerir e manter o acesso às redes internas e externas da universidade, administrar o Sistema de Informações de Ensino (SIE), no qual estão armazenados os cadastros de estudantes, docentes e projetos de pesquisa, e prestar suporte técnico aos usuários do sistema de dados de toda a instituição”. Convenhamos, não é pouca coisa.

Enquanto isso, segundo informações da Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Federal (Condsef), ligada á Central Única dos Trabalhadores (CUT), há 25 categorias em greve no país, atingindo praticamente todo o País. Os sindicalitas pretendem fazer da terça-feira, 31, o “Dia Nacional de Luta”, com manifestações em defesa de melhorias salariais.

Aliás, essa é a data máxima, por força do calendário de elaboração do Orçamento da União, para tratar de reajustes. Bueno. E até lá? Aparentemente (ou na prática), o governo resolveu mesmo endurecer com os grevistas (e há muitos deles, no serviço público federal, inclusive em Santa Maria). Como? Confira na reportagem divulgada agora há pouco, pela Agência Brasil, com a assinatura da jornalista Renata Giraldi. A foto é de Tiago Miotto, da assessoria da Assufsm. A seguir:

Governo publica decreto para garantir continuidade de serviços públicos durante a greve

presidenta Dilma Rousseff determinou aos ministros cujas áreas sofrem com a série de paralisações no país que garantam o funcionamento dos serviços públicos com normalidade. A ordem está em um decreto publicado hoje (25) no Diário Oficial da União. A norma, que vale a partir desta quarta-feira, também tem a assinatura do advogado-geral da União (AGU), Luís Inácio Adams.

Pelo decreto, Dilma diz que compete aos ministros de Estado – supervisores dos órgãos ou entidades onde ocorre a greve, paralisação ou o retardamento de atividades e serviços públicos – buscar alternativas para garantir o atendimento à população. O decreto dispõe de quatro artigos. No texto, o governo orienta que…”

PARA LER A ÍNTEGRA, CLIQUE AQUI.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo