TRAGÉDIA. Iniciam audiências de comissão da AL que proporá atualização das leis para prevenir incêndios

TRAGÉDIA. Iniciam audiências de comissão da AL que proporá atualização das leis para prevenir incêndios - valdeci-incêndio

Engenheiro especialista, o primeiro a ser ouvido pela Comissão da Assembleia Legislativa

Foi na noite de ontem, na Assembleia Legislativa. Já começaram os depoimentos, que podem corroborar as mudanças. O primeiro a falar foi o engenheiro que analisou o incêndio da Kiss e é um dos maiores especialistas brasileiros nessa area.

Entre os participantes da Comissão, que é presidida por Adão Villaverde, está o santa-mariense Valdeci Oliveira. A assessoria de imprensa do parlamentar distribuiu o relato a seguir. O texto é de Cristiane Amaral, com foto de Marcelo Bertani, da Agência de Notícias da Assembleia. Confira:

 “Assembleia inicia audiências com especialistas na prevenção a incêndios

A Comissão Especial de revisão e atualização da legislação de segurança, prevenção e proteção contra incêndio no RS realizou sua primeira audiência pública, na noite de segunda-feira (25), no Plenarinho da Assembleia Legislativa. O colegiado recebeu o engenheiro civil Telmo Brentano, um dos principais especialistas brasileiros sobre prevenção de incêndios. Ele foi o responsável pela análise do sinistro da boate Kiss, em Santa Maria.

Em sua palestra, Brentano declarou que o projeto é a parte mais importante de qualquer empreendimento, e que projetos de proteção contra incêndio deveriam ser obrigatórios. “A proteção às pessoas deve vir em primeiro lugar”, frisou. A proteção contra incêndios deve analisar todo o cenário, e todas as possibilidades de fuga. “No caso da boate Kiss, a saída era a própria entrada. Imaginem se o fogo tivesse acontecido perto da porta da boate? Teria sido pior ainda”, alertou o especialista.

Brentano observou que devem ser levados em conta os materiais e revestimentos utilizados, e haver previsão de alarmes, sistemas de bloqueio para a fumaça e rotas de saída em número suficiente para o número de pessoas. A sinalização precisa estar posicionada de forma facilmente visível, e deve ser prevista uma brigada de incêndio.

O engenheiro critica a legislação gaúcha de proteção contra incêndios, que considera uma “colcha de retalhos”. Ele cita como bons exemplos a de Porto Alegre, com ressalvas, e a do estado de São Paulo, que está sendo permanentemente atualizada. “Precisamos fazer uma legislação bem organizada”, enfatizou. Ele citou os itens que deveriam observados, como a atualização das técnicas legais, a obrigatoriedade do projeto, que deveria ter sua execução vistoriada pelos bombeiros, e a previsão de brigadas contra incêndios. 

Membro da Comissão Especial, o deputado santa-mariense Valdeci Oliveira (PT) destacou que a apresentação feita pelo professor mostra o quanto a legislação gaúcha precisa ser aprimorada. “A lei existe, mas deixa muitas lacunas. Foi justamente nestes vazios legais que surgiu a tragédia da boate Kiss. Os deputados que integram a comissão terão muito trabalho pela frente nestes quatro meses”, destacou o deputado.

Reunião ordinária – Antes do painel do professor Brentano, durante a reunião ordinária da Comissão Especial, os deputados aprovaram as próximas audiências públicas, que também terão como tema central a revisão da legislação de proteção contra incêndios no estado e serão realizadas na Assembleia, sempre às segundas-feiras. A próxima ocorrerá no dia 4 de março, com a presença do presidente do Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura (CREA/RS), Luis Capoani, e o professor Luis Carlos Pinto, que coordenou o parecer do CREA/RS sobre a tragédia de Santa Maria. “ 

 



7 comentários

  1. GEF

    Por que não uma CPI na Assembléia? Porque iria respingar no governo do Estado. Qual o atual estado dos equipamentos dos bombeiros (as escadas atuais atingem que andar dos prédios que já existem?)? Qual era o número de bombeiros que atuou na tragédia? O comportamento dos bombeiros na cena foi adequado? Seria aconselhável desmembrar os bombeiros da Brigada e subordinar diretamente ao governador?
    Mas existe um lado positivo. Adão Vilaverde é engenheiro e o lado técnico não deve ser comprometido. Vai ser mais difícil o lobby das construtoras influir no resultado.

  2. Manoel Justen

    Eu como santa-mariense acho vergonhoso ter que a Assembleia Gaúcha vir até Santa Maria fazer CPI, porque os vereadores e o Parlamento Municipal não têm coragem. Mas se de fato eles continuarem com medo das ameaças da tropa de choque, tem mais é que a Assembleia vir e apurar tudo: fiscais municioais, bombeiros que cobram propina para liberar alvarás e apurar se tem agentes públicos graúdos que algum dia facilitaram as coisas pros empresários da noite.

  3. Lino Tesselle

    luiz venancio, o fake mais conhecido de santa maria… poderia ter varios outros nome né? leandro venancio q parece????????????????????????? ou outros nomes… tens uma boa escrita e q tenta convencer… só q tá sabido do q se trata…. sabe o q é id ou ip???????? pode escrever no seu trabalho e pegar na mão auxiliando o superior em foto publicada na mídia após coletiva… só q as vezes o sr passsa dos limites da parcialidade… pense bem…. sua consciência talvez lembre do qiue o senhor já fez e quem apertou a mão… se esconder nesse fake chega a ser ridículo para muitos que lhe conhecem…

  4. Carminha

    O Luiz Venâncio ou………ou ainda……faz lembrar o Dirceu Borboleta defendendo o governo do Odorico Paraguassu ou Sucupira agora é aqui?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *