CidadaniaEstadoJudiciário

CIDADANIA. Judiciário revisa a situação dos detentos do Rio Grande. Antes de novembro, virá a Santa Maria

O Rio Grande do Sul tem 29,1 mil detentos em todos os estabelecimentos penitenciários. A Corregedoria-Geral do Judiciário está fazendo uma espécie de, na expressão popular, “pente-fino” em todos os casos. Até novembro, os estabelecimentos penais de Santa Maria e da região central do Estado receberão a visita dos que promovem o, oficialmente chamado, “mutirão carcerário”.

Acredite, das 16 mil situações já verificadas, em outras comunas gaúchas, já foram encontradas mais de 200 em que o preso deveria estar solto. E foi, aliás. Para saber mais desse mutirão, confira o material originalmente publicado no jornal eletrônico Sul21. A reportagem é de Iuri Müller. A seguir:

Mutirão carcerário revisa a situação dos quase trinta mil presos no Rio Grande do Sul

Desde abril, a Corregedoria-Geral do Rio Grande do Sul revisa, por todo o estado, a situação dos quase trinta mil presos gaúchos. Por meio do chamado mutirão carcerário, a busca relê os processos de execução penal e já modifica a permanência de diversos detentos nas penitenciárias. Até o início de setembro, mais de dezesseis mil casos foram analisados e a liberdade foi conferida a mais de duzentos presos provisórios.

Segundo informações do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, o mutirão deste ano está organizado em quatro etapas, sendo que três delas já foram finalizadas. A Corregedoria já abarcou a situação das penitenciárias de Porto Alegre, da Região Metropolitana, do Litoral e de cidades da Zona Sul do estado. Na quarta etapa, a intenção é revisar os processos de presos de cidades da Região Central e da Fronteira Oeste.

Ao longo das três regiões pelas quais já passaram as equipes da Justiça, foram registrados 2.501 presos provisórios – para 245 destes, foi conferida a liberdade. Os números são válidos para os detentos que estão há mais de cento e vinte dias nas penitenciárias visitadas. No que diz respeito aos presos permanentes, o benefício mais vezes concedido foi a remição, processo pela qual o detento tem a pena diminuída a partir dos dias que foram dedicadas ao trabalho ou estudo, conforme a legislação vigente…”

PARA LER A ÍNTEGRA, CLIQUE AQUI.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo