CUBA. Projeto Esperança na ilha de Fidel Castro

POR MAIQUEL ROSAURO

O Projeto Esperança/Cooesperança estará presente em Cuba, em fevereiro, durante a realização de um congresso internacional. Saiba mais no artigo abaixo da irma Lourdes Dill, coordenadora do Projeto Esperança/Cooesperança:

Projeto Esperança em Cuba 

A experiência do Projeto Esperança/Cooesperança e o Fórum Mundial de Economia Solidária serão apresentados num evento internacional em Havana, Cuba.

Entre 10 e 14 de fevereiro de 2014, a experiência do Projeto Esperança/Cooesperança, que completa 27 anos no dia 15 de agosto de 2014, será apresentado no 9º Congresso Internacional de Educación Superior “Universidad 2014”, com o lema “Por una universidad socialmente responsable”, no Palacio de Convenciones de La Habana, Cuba.

Scheila Stock, da Incubadora da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), fará a apresentação. Ela é autora do artigo (CLIQUE AQUI para ler), aprovado para o congresso, com colaboração da Irmã Lourdes Dill.

Este é mais um espaço importantíssimo para divulgação de um trabalho iniciado pelo nosso saudoso e inesquecível Dom Ivo Lorscheiter e segue a passos largos na construção da Economia Solidária e Agricultura Familiar na região Central do Rio Grande do Sul.

Assim, é uma forma salutar e promissora de divulgar e fortalecer cada vez mais a Economia Solidária, que gera processos organizativos, participativos e auto gestionários com prática transformadora e de Inclusão Social. Com esta experiência, nossa cidade fica cada vez mais conhecida a como a Capital Mundial de Economia Solidária com os Eventos de julho, que contribuem para este fortalecimento.

O Projeto Esperança/Cooesperança é hoje tema de estudo para muitos acadêmicos e cursos das universidades, bem como fonte de pesquisas e para trabalhos de final de cursos de graduação, mestrados e doutorados. Tudo isso nos anima e fortalece e a certeza de que estamos no rumo certo, precisamos fortalecer as parcerias, os processos participativos e democráticos, com políticas públicas de Estado e não apenas de governo.

Ao acolher 2014, acolhemos também a certeza de que este ano será um ano promissor, ano de eleições, no qual é preciso eleger lideranças Políticas que deem continuidade no que se foi construído até aqui. Vida longa para a Economia Solidária e vida longa para o Projeto Esperança/Cooesperança, cuja experiência vai iluminando experiências em outros Países e Continentes, inspirados na experiência de Santa Maria, em sintonia com a Economia Solidária do Brasil e do Mundo.



1 comentário

  1. GEF

    Economia subsidiada, isto sim. Se cortarem os subsídios não se sustenta. E serve de propaganda ainda por cima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *