Eleições 2010JudiciárioPolítica

EXTRA. Mortari segue fora da Câmara. Mas Tribunal acolheu parte do recurso e ele deixa de ser inelegível

Em julgamento acontecido agora há tarde, o Tribunal Regional Eleitoral acolheu parcialmente o recurso impetrado pelo ex-vereador Marion Mortari. A perda do mandato, decretada na SENTENÇA em primeira instância, foi mantida, com o que o militante do PSD não poderá retornar ao Legislativo – a menos que consiga reverter essa nova decisão em recurso o Tribunal Superior Eleitoral.

Mortari, no entanto, pode contabilizar duas vitórias. A mais importante é que o TRE decidiu afastar a inelegibilidade. Se a sentença anterior fosse mantida, o politico teria que ficar fora de eleições por 8 anos. Agora, se quiser, pode inclusive concorrer a deputado, em outubro. A outra foi a redução da multa imputada aqui, limitada agora a 10 mil UFIrs (algo como R$ 10 mil reais).

Resumo da opera: o suplente João Chaves (PSDB) continua no exercício do mandato. E Marion Mortari, embora fora, pode voltar imediatamente a disputar eleições.

 

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

3 Comentários

  1. Esse é o retrato do Brasil. Impunidade.na averdade a justiça condena -o por se utilizar de um posto de saúde para obter benefícios a seus eleitores e mesmo assim a pena é essa ridícula multa e somente cassação do mandato.O brasil não é sério .ainda somos uma republiqueta das bananas.o estranho que em triunfo teve políticos presos …aqui em santa maria é tudo diferente,basta ver o caso KISS.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo