Claudemir PereiraJornalismo

ESQUINA DEMOCRÁTICA. Como terminará essa história envolvendo Unifra x Prefeitura x Hospital?

Garantidas as regras do sítio, de civilidade (a crítica pode ser forte ou não, mas sem ser ofensiva, por favor), você é que decide o assunto, afinal de contas. Ah, e o que está no título é somente uma sugestão. Nada mais.

AQUI NÃO TEM NOTA ALGUMA, SÓ O TEU COMENTÁRIO. APROVEITE!

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

12 Comentários

  1. Então quer dizer que a reitora da UNIFRA conversou com Schirmer ANTES do projeto de lei e mesmo assim ele seguiu nas exigências? Isto mostra que prefeito e vereadores (base governista principalmente) acreditaram que o que o IPLAN (Severo) exigiu estava correto.
    Mudaram a lei, gastaram tempo e dinheiro publico, envolvendo técnicos do IPLAN, gastos de editais, servidores da câmara e dos envolvidos e agora porque não querem fazer o proposto pela UNIFRA irão mudar o projeto? Podem mudar a vontade mas o artigo 4º SEMPRE seguirá valendo. Está na lei, feita para atender, agora CUMPRA-SE.

  2. Hospital vai ser menor?
    Pois independentemente disto o que está no ARTIGO 4º da lei que MUDOU os indices DEVE ser cumprido.
    Podem fazer UM andar, meio andar, uma guarita, a lei foi mudada e DEVE ser cumprida.
    Deve ser cumprido o que a UNIFRA propôs, nem IPLAN, nem prefeito, nem comunidade, nem vereadores pediram NADA mais que a própria UNIFRA sugeriu. Foi copiar e colar do documento da DARTEC/UNIFRA logo isto foi avaliado internamente no projeto, agora se querem hospital menor precisam ir no IPLAN, cominar novos indices, novos acertos, para outra proposta de lei, mais audiencias e nova lei.
    Acho que a UNIFRA deve fazer um hospital de 20 andares, aproveitar bem que não há limite de altura.

  3. Tanta preocupação com um hospital que não existe e o Regional abandonado.
    A Scalifra abandonou o SAMU. Na minha ingenuidade olho o egional e penso:
    -"Má porque a UNIFRA não adota este hospital pronto?"
    Maliciosos dizem que sendo regional e construido pelo poder publico ele TEM que prestar serviços gratuitos.
    E daí me vem a urticária pensando do porque gastar para construir OUTRO hospital. Nem vou falar para não me coçar mais.
    Casa de Saúde aprodrecendo, ambulâncias do SAMU estragadas e o regional abandonado.
    E depois eu reclamo da mãe por ter me dado este nome.
    Tá difícil.

    Pessi

  4. Vejo um hospital onde o atendimento humano, segundo prega São Francisco e o Papa, que seja carinhoso, médicos afetuosos, enfermeiras atenciosas e tecnologias de ponta.
    Tudo muito limpo e de graça, pelo SUS, proporcionando uma formação de qualidade aos estudantes.
    Que pelo impacto da obra o Parque Pallotino logo ao lado seja preservado e zelado pela UNIFRA e seu curso de engenharia ambiental.
    Que todas ruas do bairro sejam cuidadas para que o fluxo de ambulâncias não cause solavancos aos pacientes que entram ou saem.
    Que tudo isto seja realidade no hospital.
    Quero testemunhar tudo isto. Só não quero frequentar o hospital, pois quero minha saúde sempre perfeita, tão pouco quero visitar entes queridos. Saúde e Paz são os desejos do Oti.

  5. Se as Franciscanas não construírem o hospital em Santa Maria, construirão onde? Em Itaara? Faxinal? Restinga? São Sepé? Ou em qualquer outra cidade da região? Bom o que interessa é que construirá e continuará servindo Santa Maria e Região ou Região e Santa Maria.

  6. Moradores do bairro são contra o hospital. Legítimo. Outras pessoas, coincidência ou não defensores de certas idéias, também são. Vem com um papo "ninguém é contra hospital", mas inventam mil empecilhos. Medidas compensatórias? Todos tem que fazer, tem o shopping, o hipermercado multinacional, o outro mercado…Para hospital também tem que valer. É "óbvio". Mudar o plano diretor? Heresia, melhor não construir hospital ali, melhor é lá onde o diabo perdeu as meias onde irão inventar outros problemas. A Associação dos Debatedores da Boca da Galeria Chami também tem que ser ouvida, é importante "consultar a comunidade". UNIFRA, entidade do mal, quer AMPLIAR um hospital (alguém imagina vilania maior?) que já possui com dinheiro dela e não faz como outros gostariam que fosse: horror! Enquanto não se chegar a um consenso, nada pode acontecer.
    Cereja do bolo é o capitalismo à brasileira. Sujeito além do dinheiro para implantar um negócio tem que conseguir "um a mais" para as "medidas compensatórias" que tem um custo indeterminado, labutar por um monte de alvarás, licenças e estudos.
    Paga-se imposto para dar salário para um bando de gente que não faz nada controlar como os que trabalham fazem as coisas. Tudo para dar certo.

  7. Boa @Alarico! Sugiro, também, que a Unifra mande capinar o Cemitério Municipal!!! Já que é assim, sugiro, também, que a Unifra assuma a prefeitura da cidade!

  8. Desde quando uma entidade privada que está investindo em nossa cidade é obrigada a melhorar o sistema viário no entorno de um empreendimento hospitalar? Parece uma piada! Sugiro que a UNIFRA seja obrigada a assumir a melhoria e manutenção da totalidade do sistema viário de Santa Maria, já que o trio Xirme/Farret/Tubias não o faz.
    Minha nossa, oito anos de atraso! O Ministério Público deveria visitar as ruas que foram recentemente "asfaltadas" na cidade pra ver quantas já precisam ser reparadas. É necessário responsabilizar quem, por parte da prefeitura, recebeu tais obras.

  9. A comunidade deveria ser consultada antes de se pensar num projeto tão importante como este. Por outro lado, percebe-se que a UNIFRA não está disposta a contribuir neste debate, pois está irredutível em não abrir mão de "certas vantagens e garantias".
    Enquanto a vaidade e a ganância se degladeiam, a população de Santa Maria e região, padece por falta de vagas, leitos, especialidades etc.
    Alguém precisa dizer para estes que sentem "fora do contexto", que o caos na saúde ceifa vidas, causa dor, sofrimento e a desesperança dos mais vulnerabilizados.
    É triste ver que a falta de consenso provocada pelo interesse particular e a ignorância bruta, se sobrepõe á uma oportunidade de aumento de qualidade de vida e ao interesse da coletividade.
    Ou seja, mais consenso e menos teimosia, pessoal.

  10. Hospital sai, transito na volta fica uma porcaria, ruas ruas, pacientes só de elite, reclamam das ruas ruins para seus carros de luxo, prefeitura asfalta tudo, com dinheiro de impostos da classe média que terá que se consultar no regional cujo entorno seguirá com ruas ruins.
    Ainda não fui atendido na UPA.

  11. Vai terminar com a UNIFRA cumprindo RIGORASAMENTE a lei, respeitando tudo, compensando tudo, mitigando tudo, licenciando ambientalmente corretamente,… enfim sendo um exemplo, o que fará com que se esqueça o atropelo de começar a obra, derrubar árvores, para entregar um hospital com cunho social. Formando profissionais que respeitem pacientes com a técnica e tecnologia de ponta.
    Esta é a visão do Oti Mista, vou ligar para meu irmão o Pessi dar a opinião dele. Ele anda cabisbaixo, perdeu emprego, fi assaltado, anda com gastrite e está na UPA esperando, … espero que compreendam ele.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo