EconomiaNegócios

VEÍCULOS. Cresce venda de “Zero Km” em outubro, mas desempenho ainda está bastante longe de 2014

E chegaram os dados mais recentes do Registro Nacional de Veículos Automotores, o Renavam (como você confere na imagem). Outubro registrou um acréscimo até razoável, em relação a setembro. Foram 558 carros (automóveis e comerciais leves) novos emplacados na cidade, contra 452 no mês anterior. Um crescimento bem aceitável, na casa dos 19%.

O problema, mesmo, é o passado mais distante, como se pode verificar abaixo, com uma queda tanto no acumulado do ano quanto considerando os 12 meses anteriores. Veja, nos números do Renavam:

veículos

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

3 Comentários

  1. @obrando-millenium
    """Conclusão? Notícia diz nada de útil."""
    Agora sim rindo e muito.Como voce consegue postar argumentos,à uma noticia nada de util.
    Me caiu os butiás do bolso…

  2. Carros pagam ICMS, IPI, PIS e COFINS. ICMS é dividido principalmente pelo valor adicionado fiscal, diferença do que entra e sai do município em termos de tributos. Deve haver diferença entre veículos fabricados no RS e fora.
    Mais, os veículos vendidos ano passado foram em outras condições, desconto, prazo, juros, etc.
    Conclusão? Notícia diz nada de útil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo