ComportamentoMundo

ESTREIA. Carta Aberta de Bianca Pereira, nas suas primeiras horas no norte da Índia, no “Caminho Livre”

Por BIANCA PEREIRA, de Chandigarh, Índia

Caminho Livre2Sete letrinhas e uma palavra que (quase) não se traduz. Várias línguas chegam perto, é verdade, todas entendem o sentido, mas nenhuma é tão direta. São várias emoções juntas, mas a palavra SAUDADE define o que sinto enquanto escrevo.

Foram 26 anos tendo para onde fugir e ganhar consolo e abraços, anos recebendo conselhos e, sempre que preciso, puxões de orelha. Se vocês não me conhecem devem saber que sou muito apegada as pessoas a minha volta, não só à família de sangue, mas àqueles que pude escolher também.

Tomar a decisão de fazer intercambio é fácil. Fazer as entrevistas, passar na seleção, ver visto, seguro, passagens… tudo é feito automaticamente. Durante o mês que tive para organizar tudo só conseguia falar “é sem pensar”, “vamos no automático”, “estou pensando na parte técnica”. A ideia de deixar tudo para trás (vai fazer sentido mãe, não fica braba!) é dolorosa, de não poder ir para a casa da vó a qualquer hora porque a internet é melhor lá, ou só porque tu…”

PARA LER A ÍNTEGRA, CLIQUE AQUI.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Um Comentário

  1. Conheci um cara que trabalhava em vendas e foi parar na India. Antes não faria feio em concursos para rei Momo, muito pelo contrário. Lá chegando virou o rei do subcontinente, perdeu uns 20 kg. Acabou voltando, na segunda viagem as condições para o trono carnavalesco melhoraram muito, recuperou os 20 e ganhou mais uns.
    UFSM já teve professores provenientes do país na época que dava para chamar a cidade de cosmopolita.
    A coluna vai ter um efeito positivo, abre uma janela para o mundo e acabará com alguns preconceitos. A cidade destino aparentemente é uma POA melhorada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo