CongressoPolítica

NÃO CUSTA LEMBRAR. Câmara, em “espetáculo” que invadiu o mundo, aprovava o processo contra Dilma

Confira a seguir trecho da nota publicada na noite de 17 de abril de 2016, domingo:

FLASH. Voto de pernambucano do PSDB define: Câmara admite o impeachment. Agora, é no Senado

Voltaremos com outras informações e análises, obviamente. Fiquemos, por enquanto, com o principal. O voto de Bruno Araújo, do PSDB de Pernambuco, foi o de número 342. Com isso, a oposição, liderada pelo presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, e pelo vice-presidente da República, Michel Temer, ambos do PMDB, obteve a vitória inicial. Isto é: a abertura do processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff, foi admitido por dois terços dos deputados federais.

A decisão, agora, será encaminhada ao Senado, a quem cabe decidir sobre o andamento ou não. É outra batalha dos governistas e dos apoiadores da democracia. Ah, e com o que os deputados federais gaúchos contribuíram? Confira você mesmo, os votos dos parlamentares do Rio Grande, a seguir…”

PARA LER A ÍNTEGRA, NO ORIGINAL, CLIQUE AQUI    

PASSADO EXATAMENTE UM ANO da publicação da nota, a votação foi tão estranha e, para não falar no Cunha hoje preso e condenado, fiquemos apenas com os votos gaúchos. Houve um inusitado, a abstenção do presidente do PDT, Pompeo de Mattos. E outro contra Dilma e a orientação do partido, de outro pedetista, Giovani Cherini, que acabaria expulso. Pois é…

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo