Santa MariaSegurança

SEGURANÇA. Polícia Civil abre o Núcleo de Mediação de Conflitos: solução de impasses antes do problema

Serviço prestado pela Polícia Civil busca o diálogo e a mediação para evitar conflitos. Pozzobom prometeu apoio possível da Prefeitura

Por MAURÍCIO ARAÚJO (texto) e DEISE FACHIN (foto), da Assessoria de Imprensa do Município

A Polícia Civil do Rio Grande do Sul inaugurou, na manhã desta sexta-feira (19), um importante serviço à sociedade santa-mariense: o Núcleo de Mediação de Conflitos da 1ª Delegacia de Polícia. O prefeito Jorge Pozzobom prestigiou a implantação do núcleo, que pretende avançar nos ideais de mediação não punitivas e apaziguar conflitos, controvérsias e outros problemas relacionados. Na prática, aumenta-se o diálogo entres as partes envolvidas e desafoga-se os litígios jurídicos.

Além de Santa Maria, as cidades de São Pedro e Restinga Seca também receberam uma unidade de Mediação. As inaugurações, ocorridas na sede da 1º Delegacia, foram bem recebidas pela comunidade, já que busca uma Justiça Restaurativa, na qual há a escuta das vítimas e dos ofensores, entre outros benefícios. Normalmente, conforme os policiais, o núcleo objetiva atender crimes com menor potencial ofensivo que atingem à sociedade no dia a dia, mas que, no futuro, podem gerar crimes mais graves.

O prefeito Jorge Pozzobom reforçou que a Prefeitura de Santa Maria é parceira da Polícia Civil e, destacou, que apoia a implantação do Núcleo de Mediação de Conflitos. O chefe do Executivo lembrou do tempo em que era estagiário na Defensoria Pública do Estado e que, na instituição, trabalhou e melhor compreendeu a importância da mediação e do diálogo para a resolução de conflitos.

“A Prefeitura fará sua parte, auxiliando no que for possível. Somos integralmente parceiros do Núcleo e iremos apoiá-lo”, parabenizou o prefeito.

O coordenador do Núcleo em Santa Maria e em São Pedro do Sul, delegado Jun Sukekava, relembrou que o serviço iniciou a partir de um projeto que foi transformado em programa da Polícia Civil, por meio da Portaria 168/2014. Segundo ele, com os novos três núcleos, o Rio Grande do Sul passa a contar com 26 unidades no Estado.

“Estamos fortalecendo a Justiça Restaurativa, com a mediação pacífica dos conflitos, por meio do diálogo”, definiu o delegado.

O subchefe de Polícia Civil, delegado Leonel Fagundes Carivali, o diretor do Departamento da Polícia do Interior, Fernando Antônio Sodré de Oliveira, e o titular da 3ª Delegacia Regional de Santa Maria, Sandro Meinerz, reforçaram a importância da conversa na mediação de conflitos e que os núcleos surgiram justamente para dar essa alternativa às partes, já que elas serão escutadas, poderão falar e, finalmente, encontrarão, juntas, a solução para os impasses.

PARA LER A ÍNTEGRA, CLIQUE AQUI.

ATENÇÃO


1) Tua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Um Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo