CIDADE. Construtora que lesou santa-marienses convoca reunião e horas depois cancela o encontro

CIDADE. Construtora que lesou santa-marienses convoca reunião e horas depois cancela o encontro - maiquel-golpe-ampar

Residencial Paris, no Bairro Diácono João Luiz Pozzobom, está com obras paralisadas há mais de um ano. Ele é apenas um dos vários

Por MAIQUEL ROSAURO (texto e foto), da Equipe do Site

O calvário das famílias santa-marienses que adquiriram imóveis da empresa Ampar parece não ter fim. Nessa segunda-feira (9), uma carta de intenção foi enviada para os compradores, através da qual convocava os clientes para uma reunião ainda esta semana. Porém, horas depois, o encontro foi cancelado.

Em 26 de junho, a Polícia Civil desencadeou a Operação Apate, no qual cumpriu seis mandados de busca e apreensão em Santa Maria e Porto Alegre e resultou na prisão de dois homens. A operação tinha como alvo donos da Ampar.

A empresa oferecia residências em condomínios fechados a partir de R$ 99,9 mil. Contudo, as obras iniciavam, ocorriam as vendas e a entrega jamais era realizada. A Polícia Civil calcula que o prejuízo já supere R$ 1 milhão entre as famílias que realizaram a compra.

A carta foi divulgada via WhatsApp, diretamente, para os clientes. No informativo, empresa deixa claro que tem interesse de entregar todas as casas que foram prometidas em vendas.

“Houve inúmeras tentativas inclusive via judicial e já havíamos iniciado um plano para realizar a entrega destes condomínios através da criação de uma administração de condomínio e uma SPE (Sociedade Privada Específica), onde cada comprador vira sócio de uma empresa para administrar a conclusão do condomínio”, diz trecho da carta.

A Ampar também explica que os direitos de posse seriam passados no ato da formação da SPE, momento em que a construtora passaria as escrituras dos terrenos e ficaria disponível como empreiteira para terminar a obra. Outra possibilidade seria repassar as obras para outra empresa sob a supervisão dos administradores.

O encontro, que ocorreria no Condomínio Europa (na Rua Pedro Santini), iria reunir, em diferentes datas, proprietários de imóveis nos condomínios Europa, Paris, Amsterdam, Roma, Dublin e Veneza.

Entretanto, poucas horas depois de a carta pública ter sido remetida aos clientes, a reunião foi cancelada.

“Olha só vai ser remarcada a reunião pra uma data posterior… Precisaremos notificar todos os clientes com cartas registradas pra ter validade a convocação… Mas será resolvido em breve essa situação… Att. Ampar int.”, informou a empresa via WhatsApp.

Como consequência das obras paralisadas, cemitérios de condomínios inacabados se espalharam por Santa Maria. Clique AQUI para saber mais.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *