EconomiaJudiciárioMídiaTrabalho

TRABALHO. Justiça manda Editora Abril, em 30 dias, reintegrar empregados demitidos desde julho de 2017

Do portal especializado Consultor Jurídico, com imagem de Reprodução

O juiz Eduardo José Matiota, da 61ª Vara do Trabalho de São Paulo, determinou novamente que a editora Abril reintegre os funcionários demitidos desde julho de 2017. A empresa tem 30 dias para obedecer.

A decisão é da segunda-feira (3/12) e foi tomada nos embargos de declaração interpostos pela editora e pelo Ministério Público do Trabalho. Em setembro, o juiz já havia determinado as reintegrações, mas só os demitidos até dezembro de 2017 seriam reintegrados.

Agora, o magistrado acolheu o pedido do MPT e estendeu a reintegração até as demissões de julho de 2017. Segundo ele, os documentos apresentados pelo MPT demonstram que houve demissão em massa a partir daquele mês. Mais de 400 pessoas foram demitidos no período, sem negociação prévia com o sindicato.

O juiz definiu ainda na sentença que os trabalhadores que não quiserem reassumir os cargos podem transformar a reintegração em indenização.

“Apenas para que não ocorram dúvidas, eventuais acordos homologados em ações individuais serão analisados caso a caso, nos limites da quitação conferida pelas partes nas respectivas demandas individuais”, acrescentou o juiz.

O caso trata de uma ação civil pública ajuizada pelo Ministério Público do Trabalho e pelo Sindicato dos Jornalistas Profissionais de São Paulo, com pedido de antecipação de tutela contra a empresa, que está em processo de recuperação judicial.

Clique aqui para ler a decisão
Processo: 1000446-88.2018.5.02.0061

PARA LER A ÍNTEGRA, NO ORIGINAL, CLIQUE AQUI.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

2 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo