CÂMARA. Juba foi o vereador que mais economizou telefone em 2018. Já Valdir ultrapassou a cota anual

CÂMARA. Juba foi o vereador que mais economizou telefone em 2018. Já Valdir ultrapassou a cota anual

CÂMARA. Juba foi o vereador que mais economizou telefone em 2018. Já Valdir ultrapassou a cota anual - Juba-1

Vereadores possuem uma cota anual de R$ 6,6 mil para uso com telefone. Deste total, Juba utilizou R$ 1.875,58. Foto Taísa Medeiros

Por Maiquel Rosauro

Pelo segundo ano consecutivo, Juliano Soares – Juba (PSDB) e Valdir Oliveira (PT) são os destaques dos gastos com a cota de telefone dos vereadores de Santa Maria. Enquanto o tucano foi, mais uma vez, o campeão em economia; o petista foi novamente quem mais gastou.

Cada parlamentar possui uma cota anual de telefone de R$ 6,6 mil, que incluiu um aparelho fixo no gabinete e um smartphone funcional com plano de internet. Em 2017, os vereadores gastaram R$ 78.871,32 (ou R$ 81.825,43 – valor corrigido pela inflação do período) com o benefício. Ano passado, o valor total gasto foi de R$ 82.567,06.

Juba utilizou R$ 1.875,58 em telefonia, gerando uma economia de R$ 4.724,42 aos cofres públicos. Conforme o tucano, o aparelho móvel a que tem direito fica no gabinete e é usada apenas para ligações para outros celulares.

“Também utilizamos muito WhatsApp e e-mail. Além disso, meu chefe de gabinete possui um plano de ligações ilimitada, o que também ajuda a economizar”, afirma Juba.

Valdir, por outro lado, conseguiu um feito inédito nesta Legislatura. Em 2018, ele extrapolou a cota de R$ 6,6 mil, totalizando um gasto total de R$ 6.711,36.

Ao site, o petista informou que exerce o mandato como vereador de forma integral, diariamente e 24 horas por dia, sendo que os gastos com telefone são reflexos desta jornada. Valdir alega que seu número de celular é público, disponibilizado inclusive nas redes sociais e, muitas vezes, as pessoas ligam a cobrar. O mesmo ocorre em relação ao telefone fixo do gabinete, usado para dar o retorno à população sobre os pedidos que o parlamentar recebe.

Mesmo tendo ultrapassado a cota, Valdir disse que considera o valor suficiente.

“Eu considero a cota ideal sim. Mas, se houver uma proposta para redução desta cota, estou de acordo. Pelo volume de trabalho que desempenho, esta cota não é alta para mim, mas eu não me importaria de ter que pagar conta telefônica do meu salário, porque tenho a consciência de que é um serviço necessário, feito pelo povo, que dá um bom retorno às comunidades”, argumentou o petista.

 

Sem celular

Dois vereadores abriram mão de usar o celular fornecido pela Câmara: Francisco Harrisson (PSDB) e Vanderlei Araújo (PP). Logo, o consumo de ambos se resume à linha fixa do gabinete.

 

Benefício polêmico

Ano passado, Harrisson entrou com pedido para dar fim ao pagamento dos celulares dos vereadores com dinheiro público. Porém, a Mesa Diretora votou em peso contra a iniciativa.

 

Acesso à informação

O valor gasto pelos parlamentares com telefone não está disponível na página da Câmara. Para ter acesso aos valores, o site realizou uma solicitação formal via Lei de Acesso à Informação (12.527/2011).

Como resposta do Legislativo, o site recebeu cópias de todas as planilhas mensais de uso do benefício ao longo de 2018. Clique AQUI e confira a planilha de dezembro, que no item ‘Crédito Restante’ resume o valor que cada parlamentar economizou.

Abaixo, confira um resumo dos gastos com o benefício:

 

Vereador – Total gasto com a cota de telefone em 2018

Valdir Oliveira (PT) – R$ 6.711,36
Jorge Trindade – Jorjão (Rede) – R$ 6.546,47
Luci Duartes – Tia da Moto (PDT) – R$ 6.175,61
João Kaus (MDB) – R$ 4.920,02
Ovídio Mayer (PTB) – R$ 4.852,81
Marion Mortari (PSD) – R$ 4.696,40
Deili Silva (PTB) – R$ 4.438,31
Alexandre Vargas (PRB) – R$ 4.406,58
Luciano Guerra (PT) – R$ 4.321,44
Daniel Diniz (PT) – R$ 4.250,06
Manoel Badke – Maneco (DEM) – R$ 4.145,66
André Domingues – Deco (PSDB) / João Ricardo Vargas (PSDB)* – R$ 3.770,12
Adelar Vargas (MDB) – R$ 3.402,00
Cida Brizola (PP) – R$ 3.379,92
Celita da Silva (PT) – R$ 3.108,68
João Chaves (PSDB) / Lorena Santos (PSDB)* – R$ 2.621,82
Francisco Harrisson (MDB) – R$ 2.512,78
Vanderlei Araújo (PP) – R$ 2.439,05
Admar Pozzobom (PSDB) – R$ 2.018,23
Leopoldo Ochulaki – Alemão do Gás (PSB) – R$ 1.974,16
Juliano Soares – Juba (PSDB) – R$ 1.875,58
TOTAL – R$ 82.567,06

* Lorena Santos e João Ricardo Vargas atuaram no Parlamento até abril de 2018, momento em que, respectivamente, João Chaves e André Domingues – Deco assumiram seus assentos (e herdaram suas cotas de telefone) no Legislativo.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *