EducaçãoEstado

ESTADO. Vem aí a seleção para Coordenadores de Educação. Saiba como Eduardo Leite definirá nomes

“Nomeação de coordenadores observava decisões políticas. Novo processo assegura a capacidade técnica”, disse o governador Leite

Por SUZY SCARTON (texto) e GUSTAVO MANSUR (foto), da Assessoria de Imprensa do Palácio Piratini

O governo estadual buscará os profissionais mais qualificados para comandar as 30 Coordenadorias Regionais de Educação (CREs) por meio de um acordo de cooperação com a Fundação Lemann, representando uma aliança de organizações. A parceria, que não terá custos para o Estado, promove a seleção de profissionais com capacidade técnica para assumir as CREs.

A primeira etapa consiste na divulgação, para o público, do edital, que deve ser publicado nas próximas semanas. Qualquer cidadão terá direito de se inscrever para participar do processo seletivo, não sendo necessária experiência na área de educação. “São cargos de gestão que dependem de habilidades de liderança e de competências técnicas”, explicou o governador Eduardo Leite.

A segunda etapa consiste na análise de currículo, e a terceira, em testes de liderança e de capacidade de gestão de pessoas. A última etapa, que envolve entrevistas, culminará na pré-seleção de três candidatos. O governador, por fim, escolherá aquele que entender ser o mais apto para o cargo.

Além dos 30 coordenadores regionais de Educação, também serão escolhidos gestores para a Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão (Seplag): um coordenador da escola de governo, um diretor de recursos humanos e um subsecretário de gestão de pessoas. “Estamos montando um núcleo de gestão de pessoas que faça essa transição de modelos. Neste primeiro momento, pensamos em lideranças, não no operacional”, detalhou a secretária Leany Lemos.

Representando as fundações envolvidas na aliança – a Fundação Lemann, a Fundação Brava, o Instituto Humanize e o Instituto República –, o diretor executivo da Fundação Lemann, Denis Mizne, e a diretora executiva do Instituto Humanize, Geórgia Pessoa, exaltaram a iniciativa do RS em buscar auxílio do terceiro setor para aprimorar o sistema de gestão de pessoas. “Não se trata só de uma seleção, envolve o desenvolvimento de metas, um planejamento de carreira, um plano motivacional”, destacou Mizne.

A expectativa do governo estadual é que todo o processo de seleção e de análise dos candidatos seja concluído entre 60 e 90 dias. “Até aqui, a nomeação desses coordenadores observava decisões políticas, e entendemos que esse novo processo de seleção assegura a capacidade técnica e a melhora da relação entre os CREs e a Secretaria Estadual de Educação (Seduc)”, resumiu o governador.

Os coordenadores regionais ficam encarregados da aplicação das políticas públicas definidas pela Seduc e são responsáveis pelas escolas da região em que se encontram. Ao todo, o RS tem cerca de 2,5 mil escolas estaduais.

PARA LER NO ORIGINAL, E AINDA CONFERIR VÍDEO E OUTRAS FOTOS, CLIQUE AQUI.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo