SALA DE DEBATE. Do ‘Rock In Garça’ aos 84 anos da Voz do Brasil, e chegando às últimas de Jair Bolsonaro

SALA DE DEBATE. Do ‘Rock In Garça’ aos 84 anos da Voz do Brasil, e chegando às últimas de Jair Bolsonaro

SALA DE DEBATE. Do ‘Rock In Garça’ aos 84 anos da Voz do Brasil, e chegando às últimas de Jair Bolsonaro - sala-10

Este editor (E), o mediador e convidados: Elvandir Costa, Luiz Ernani Araújo, Walter Jobim Neto e Alfeu Bisaque (foto Gabriel Cervi Prado)

Foi, digamos, um “Sala de Debate” eclético, no que toca a temas discutidos, o desta segunda-feira, entre meio dia e 1 e meia, na Rádio Antena 1. O “Rock In Garça” (sim, um festival, alias gratuito para os consumidores de cultura), por exemplo, ganhou espaço significativo. E logo na abertura. Já no final, o que é e a longevidade do programa “A Voz do Brasil”, também mereceu destaque, por provocação do mediador do programa, Roberto Bisogno.

Mas, e no longo “intervalo”, com a participação deste editor e dos ouvintes, do que trataram os convidados do dia, Walter Jobim Neto, Alfeu Bisaque Pereira, Elvandir José da Costa e Luiz Ernani Araújo? Foram vários assuntos, na verdade. Mas praticamente todos tendo como protagonista o presidente Jair Bolsonaro e suas manifestações. Desde as palavras sobre os governadores nordestinos até o meio ambiente, um punhado de situações ganhou destaque no programa.

PARA OUVIR O “SALA” DE HOJE, BLOCO POR BLOCO, CLIQUE NOS LINQUES ABAIXO!!!

 



2 comentários

  1. O Brando

    Pelo menos rola um Deep Purple.
    ‘Voz do Brasil’ tem audiência traço(ou seja, beira a completa inutilidade) na maior parte do país, nos grandes centros. Novas gerações que ouvem radio (fora da internet) acham que é sinal para fazer outra coisa.
    B17, falsas polemicas e um monte de vermelhinhos que acreditam estar ‘desgastando’ a imagem do sujeito. Para estes más noticias, kuakuakuakuakuakuakua! Ressalva para os idealistas, os que acreditam no simbólico, em liturgia do cargo, em governar ‘para todos’, em ‘principios’, grandes conceitos abstratos, em ganhos abstratos e não sabem o que é pragmatismo. Para estes o recado é um pouco diferente: KKKKKKKKKKKKKKKKKK!

  2. O Brando

    Amazônia. Um dos assuntos mais complexos do país., a tal província do Grão Pará. São depósitos de minérios que terão que sair do chão para ajudar a pagar a conta (com muita gente de olho, aqui e lá fora) e áreas que serão inundadas para gerar energia. Lugar que uns dizem ser território brasileiro e outros dizem ser bem da humanidade, obviamente surge conflito ideológico.
    Pois bem, simples. Floresta não vai acabar em quatro (ou oito) anos. Depois do término do tempo de B17 no poder ainda estaremos discutindo desmatamento por lá. Alás, já que os brasileiros estão acabando com o ‘bem da humanidade’ não seria melhor uma intervenção da ONU? Parece teoria da conspiração, mas é o receio de alguns. Alas, Alemanha e Noruega mandam dinheiro porque são bonzinhos? E aquele tanto de gringos em ONG’s? E o contrabando de espécies vegetais para pesquisa de medicamentos?
    Ao invés de debate raso com fins eleitorais melhor levar para o nível EPB.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *