RÁDIO. Migração da Imembuí para FM ganha livro. Lançamento ocorre dia 10, no Hotel Morotin Centro

RÁDIO. Migração da Imembuí para FM ganha livro. Lançamento ocorre dia 10, no Hotel Morotin Centro

Com informações (e imagem de Reprodução) dos organizadores do evento

RÁDIO. Migração da Imembuí para FM ganha livro. Lançamento ocorre dia 10, no Hotel Morotin Centro - gilson-rádio-imembuíAs ondas da Rádio Imembuí vão navegar pelas páginas da literatura. Todo o processo de migração da Amplitude Modulada (AM) para a Frequência Modulada (FM) da primeira emissora de rádio de Santa Maria vai ser detalhado no livro “Migração no Rádio – No ar, Imembuí FM!”. O lançamento ocorre no dia 10 de dezembro, às 19h30min, no Hotel Morotin Centro. Este primeiro lançamento ocorre para funcionários da emissora, autoridades e convidados. A emissora foi fundada em 13 de fevereiro em 1942 e, com a migração, passou a ser sintonizada nos 101,9 MHz.

A obra é de autoria dos jornalistas Tiago Nunes e Gilson Piber. Tiago, atualmente, é coordenador de Jornalismo da Imembuí e narrador esportivo da emissora. Piber é doutor em Comunicação, trabalha na UniFM e atua como professor do Curso de Jornalismo da Universidade Franciscana (UFN).  O livro é resultado do Trabalho Final de Graduação de Tiago Nunes no Curso de Jornalismo da UFN, com orientação de Piber. “Quem me incentivou foi o professor Gilson Piber. Ele notou a importância deste momento que o rádio vive e lançou a ideia de tirarmos dos bancos acadêmicos e levarmos este processo histórico do meio radiofônico para todos da comunidade”, conta o atual coordenador de Jornalismo da emissora.

Todo o processo de edição foi realizado pela Editora Appris, de Curitiba (PR). No dia do lançamento, vai ser colocado à venda um lote com 100 exemplares ao valor de 30 reais. Logo na sequência, a obra vai ser comercializada no site da editora. Tiago revela que negociações também estão em andamento para a venda em uma livraria de Santa Maria.

O prefácio do livro foi escrito pelo jornalista Luiz Artur Ferraretto, professor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e um dos maiores estudiosos sobre rádio do país. O trabalho vai contar detalhes da migração e os bastidores para transformar uma emissora do interior que passou mais de sete décadas na AM para a FM.

Conforme os autores, o livro destaca as questões técnicas, as dificuldades burocráticas e o amplo estudo feito para a modificação da programação jornalística. Ao todo, sete pessoas foram entrevistadas, chamadas de agentes da migração, que participaram do processo de transformação da rádio.

A Imembuí migrou da AM para a FM em 30 de maio de 2017. Todo um planejamento foi realizado para lançar o livro ainda este ano e para estar à venda na Feira do Livro de Santa Maria em 2020.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *