VIAGEM. Sucesso do CTG Sentinela da Querência e tristeza dos seus integrantes, vítimas de “fake news”

VIAGEM. Sucesso do CTG Sentinela da Querência e tristeza dos seus integrantes, vítimas de “fake news”

VIAGEM. Sucesso do CTG Sentinela da Querência e tristeza dos seus integrantes, vítimas de “fake news” - gabriele-pauta-2-aPor GABRIELE BRAGA (com fotos de arquivo pessoal), especial para o Site (*)

Um grupo composto por 30 componentes do CTG Sentinela da Querência de Santa Maria viajou no dia 19 de fevereiro para a Itália para representar o Brasil em dois Festivais Mundiais de Folclore. O primeiro em  Castrovillari, na região da Calábria, e outro na cidade de Agrigento, na região da Sicília.

O grupo desembarcou em Roma, onde puderam conhecer pontos turísticos da cidade e realizar diversos passeios.  No dia 22 de fevereiro o grupo foi para Castrovillari, onde participou do Festival Internacional de Folclore e do 62º Carnevale di Castrovillari, juntamente com um grupo da cidade de Puebla, México, e grupos italianos. As atividades foram realizadas dentro do que estava previsto na programação: apresentações em praça pública, teatros e desfiles.

Em razão da pandemia do coronavírus, o festival na cidade de Agrigento, no dia 29 de fevereiro, foi cancelado por determinação da prefeitura local e da polícia, a fim de evitar a aglomeração de pessoas, pois nesse momento o vírus começava a chegar no norte do país. Os componentes do grupo, então, participaram de atividades juntamente a um grupo mexicano, que também estava lá para participar do festival, e visitou alguns pontos turísticos, incluindo visita ao prefeito da cidade, tomando todos os cuidados necessários.

VIAGEM. Sucesso do CTG Sentinela da Querência e tristeza dos seus integrantes, vítimas de “fake news” - gabriele-pauta-2-bSegundo o Professor Coordenador Artístico das modalidades Individuais e Chefe de Delegação das viagens internacionais, Valmir Beltrame, o grupo manteve contato com as autoridades locais de saúde através da coordenação do Festival, e também, com o Serviço de Vigilância em Saúde de Santa Maria. Na delegação, estava presente uma enfermeira, Adelina Giacomelli Prochnow, que desde a chegada a Agrigento já passava todas as recomendações ao grupo sobre os cuidados e procedimentos a serem adotados como forma de prevenção, mesmo que no sul da Itália, onde o CTG se encontrava, ainda não tivesse nenhum caso suspeito.

O gaiteiro do Grupo TrioPacito, Guilherme Taschetto Tavares, que viajou junto ao CTG, conta que logo que os casos da doença começaram a surgir no país, os componentes ficaram um pouco apreensivos, mas com todos os cuidados tomados puderam aproveitar esta grande experiência e retornar ao Brasil de forma segura. Em cada aeroporto que chegavam, os componentes do CTG passaram por diversos testes para a doença, todos com resultados negativos.

Assim que retornaram para Santa Maria ficaram resguardados de contato social durante 14 dias, sendo acompanhados diariamente pelo serviço de saúde municipal.

Porém, enquanto ainda estava em solo italiano, o grupo começou a ser atacado por comentários e notícias falsas espalhadas sem conhecimento através das redes sociais, que ganharam força com o retorno deles para a cidade.

“Tivemos integrantes da patronagem do CTG, que sequer tiveram contato com o grupo, sendo vítimas de diversos tipos de constrangimentos, como por exemplo o cancelamento de uma reunião de condomínio para evitar a presença de determinada pessoa”, desabafa o coordenador Beltrame.

“Também o grupo foi obrigado a ler postagens que iam desde “porque não voltam prá morrer na Itália?” até “essa gente devia ter ficado prá morrer por lá”, além de audios de Whatsapp que davam como certo a presença de infectados no grupo, quando na verdade nenhum dos integrantes da delegação até hoje sequer teve sintomas”, afirma.

As histórias foram desmentidas pelos componentes do grupo através das suas redes sociais, e nenhum dos deles apresentou nenhum sintoma da doença até hoje.  “Infelizmente foram tristes as notícias, as fake news que foram contadas. Algumas pessoas ficaram deprimidas com o que falavam, mas no fim saímos todos bem, todos felizes”, finaliza Guilherme Tavares.

VIAGEM. Sucesso do CTG Sentinela da Querência e tristeza dos seus integrantes, vítimas de “fake news” - gabriele-pauta-2-c(*) Gabriele Braga é acadêmica de Jornalismo da Universidade Franciscana e faz seu “estágio supervisionado” no site

NOTA DO EDITOR: as fotos, sem legenda, ilustram três momentos dos viajantes santa-marienses em seu périplo italiano.



1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *