SAÚDE. Governo do Estado faz alerta para o pico de internações por doenças respiratórias no mês de julho

SAÚDE. Governo do Estado faz alerta para o pico de internações por doenças respiratórias no mês de julho

SAÚDE. Governo do Estado faz alerta para o pico de internações por doenças respiratórias no mês de julho - 81065637-correio-do-povo-leite

Mês de julho costuma ser complicado para a rede hospitalar do RS, disse o governador, nesta sexta, em evento virtual com empresários

Do site do Correio do Povo, com foto de FELIPE DALLA VALLE (Divulgação/Palácio Piratini)

O governador Eduardo Leite afirmou que o início de julho servirá para avaliar a performance do sistema de saúde no Rio Grande do Sul em meio à pandemia do novo coronavírus. Em videoconferência promovida pela Associação Comercial de Porto Alegre (ACPA), Leite apresentou dados do Ministério da Saúde que apontam que a primeira semana daquele mês, historicamente, é a que registra pico de internações nos hospitais por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG).

Além de detalhar as medidas de distanciamento social e os critérios adotados para abertura do comércio por regiões no Rio Grande do Sul, Leite explicou o impacto na economia gaúcha por conta da Covid-19 e a necessidade de buscar alternativas para o período de pós-pandemia. E reforçou que as medidas de distanciamento implementadas no Estado resultaram em menor circulação de outros vírus: “As próximas semanas serão importantes para a gente fazer análise de desempenho, de performance dos nossos hospitais”, afirmou, ressaltando que houve ampliação de 60% dos leitos de UTI.

Ao salientar que os protocolos de restrições do comércio definidos pelo governo visam garantir a segurança da população, Leite explicou que as medidas representam demonstração de confiança na sociedade gaúcha. “Não é razoável que viéssemos impor fechamento de lojas, estabelecimentos comerciais ou de atividades econômicas pela dúvida ou receio do cumprimento de protocolos. Preferimos confiar na população e estabelecer os protocolos que devem ser seguidos”, observou.

O governador afirmou que o aumento das internações em leitos de UTI em algumas regiões, como na Região Metropolitana e na Serra, ligou sinal de alerta no Palácio Piratini. Por conta disso, ele não descartou mudanças nos critérios adotados para liberação do comércio, que leva em consideração a divisão do estado por regiões. Conforme Leite, o governo avalia a possibilidade de estabelecer que municípios de uma região com restrição possam abrir o comércio, desde que apresentem argumentos e não tenham registrado, entre outras coisas, aumento de internações e óbitos. “Vários argumentos podem ser utilizados”, frisou…”

PARA LER A ÍNTEGRA, CLIQUE AQUI.



2 comentários

  1. O Brando

    E o Mercado Livre hein? Queriam que os vendedores de outros estados abrissem filiais no RS para poder arrecadar mais segundo as más línguas. Ainda quer ser presidente do Brasil. Talvez consiga. Mais uma prova que isto aqui não tem como dar certo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *