POLITICA. Bolsonaro deu 101 entrevistas exclusivas em ano e meio. Privilegiados: Band, Record e Datena

POLITICA. Bolsonaro deu 101 entrevistas exclusivas em ano e meio. Privilegiados: Band, Record e Datena

POLITICA. Bolsonaro deu 101 entrevistas exclusivas em ano e meio. Privilegiados: Band, Record e Datena - 379d12b2-poder360-datena-band-bolsonaro

José Luiz Datena, da Bandeirantes, foi o jornalista que mais entrevistou o Presidente da República: 10 vezes. Depois vem a TV Record

Do portal PODER360. Com reportagem de SABRINA FREIRE e arte e foto de Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro concedeu 101 entrevistas exclusivas desde que assumiu o Planalto, em 1º de janeiro de 2019. Apesar de ser crítico à imprensa, falou a 50 veículos de comunicação e 7 canais no YouTube. No total, 81 pessoas tiveram a oportunidade de entrevistá-lo com exclusividade.

A TV é o canal de comunicação predileto do presidente. Foram 64 entrevistas a programas e telejornais do Brasil e de outros países. Em seguida, o presidente falou mais a emissoras de rádios: 18 vezes durante 1 ano e meio de governo.

Os dados são de levantamento produzido pelo Poder360 com base na agenda do presidente e divulgações das entrevistas na mídia.

POLITICA. Bolsonaro deu 101 entrevistas exclusivas em ano e meio. Privilegiados: Band, Record e Datena - c120591e-poder360-tabela-bolsonaroA Band é a emissora favorita de Bolsonaro. Teve a oportunidade de entrevistar exclusivamente o presidente 18 vezes. Destas, 8 foram no 1º semestre de 2020. Até 2019, a Record era a emissora que mais havia tido acesso ao chefe do Executivo, com 14 entrevistas. Em 2020, a empresa do bispo Edir Macedo teve só mais 3 oportunidades de entrevistar Bolsonaro.

Entre os jornalistas, José Luiz Datena, apresentador do programa Brasil Urgente, da TV Band, foi quem mais entrevistou Bolsonaro até agora: 10 vezes. Thiago Nolasco, da TV Record, aparece atrás, com 7 entrevistas.

Em 22 de maio, Datena disse que não iria mais entrevistar o presidente depois de Pedro Guimarães, presidente da Caixa, ter dito na reunião ministerial de 22 de abril que a Band “queria dinheiro” do governo e de Bolsonaro ter proferido palavrões durante a ocasião. “De preferência, eu não quero mais entrevistar o presidente da República depois de uma atitude dessa. Eu gostaria que ele desse entrevista pra quem ele quisesse, com todo respeito que tenho por ele, pelo cargo dele, eu me permito nunca mais fazer uma entrevista com ele”, afirmou Datena…”

PARA LER A ÍNTEGRA, CLIQUE AQUI.



4 comentários

  1. O Brando

    Hummm… Queriam que desse entrevista para a Folha e a Globo que fizeram explicitamente campanha eleitoral contra a eleição do sujeito? Eu faria exatamente a mesma coisa.
    Rede Trouxa tem agravantes. Apoiou o Regime Militar quando conveniente, depois ‘pediu desculpas’. Foi insinuada participação no caso Proconsult/Brizola. Apoiou eleição de Collor, inclusive com edição do debate com o Molusco. Mais recentemente participou na arapuca que quase derrubou Temer (que não é santo), inclusive noticiou renúncia.
    Deixando de lado o atual presidente, Rede Noticiosa é um agente e muitas vezes desestabilizadora. Pergunta que não quer calar:
    Quo usque tandem?

    • joao

      Um adendo: só ‘pediu desculpas’ anos depois da morte do Roberto Marinho. Enquanto era vivo nunca disse nada.

    • O Brando

      Falar que o patrão errou não costuma fazer bem a carteira de trabalho.

  2. Rose

    Essa imprensa que pensa que manda tem mais é que se ferrar, prefiro aqui o site do amigo Claudemir que mesmo sendo um de esquerda, é um democrata, abraço …..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *