Destaque

ELEIÇÕES 2020. Facebook remove os anúncios de Cechin e Guerra publicados de forma irregular na rede

Sergio Cechin (PP) e Luciano Guerra (PT) publicaram anúncios em que não identificavam os rótulos “Pago por” ou “Propaganda Eleitoral”

Por MAIQUEL ROSAURO (com foto de Reprodução), da Equipe do Site

O Facebook removeu anúncios publicados pelos pré-candidatos a prefeito de Santa Maria, Sergio Cechin (PP) e Luciano Guerra (PT), com conteúdo voltado às eleições municipais. As publicações de ambos foram postadas de forma que violam as diretrizes estabelecidas pela plataforma.

A partir desta semana, a rede social de Mark Zuckerberg passou a não permitir que anúncios sobre política ou eleições sejam exibidos no Facebook e no Instagram no Brasil sem o aviso “Pago por” ou “Propaganda Eleitoral”. As publicações de Cechin e Guerra não possuíam estes rótulos.

Conforme a Biblioteca de Anúncios do Facebook, Cechin pagou menos de R$ 100 (valor estimado) para divulgar um vídeo gravado às margens do Rio Vacacaí-Mirim, entre os bairros KM 3 e Pé de Plátano, onde é construída uma ponte.

“Essa comunidade aguardava a obra há 22 anos, isto é, desde 1998, e hoje está se tornando realidade com esse trabalho conjunto, esse mutirão comunidade e Executivo Municipal”, diz Cechin no vídeo.

O vídeo, derrubado pelo Facebook, circulou de forma patrocinada entre segunda (3) e quarta-feira (5), gerando entre 7 e 8 mil visualizações, até ter sido retirado do ar. Confira AQUI o anúncio do progressista.

Guerra patrocinou entre terça (4) e quinta-feira (6), uma arte em que critica gestões anteriores do Município junto com as hashtags #SuperaSantaMaria, #LucianoGuerra e #ChegaDosMesmos.

A peça publicitária traz uma foto do petista na tribuna do Parlamento junto à mensagem: “É hora de enfrentar a velha política com trabalho e com novas ideias para melhorar Santa Maria. Chega de atraso!”.

O vereador também gastou menos de R$ 100 (valor estimado) para que sua publicação fosse visualizada por cerca de 6 mil usuários, até sua remoção pela rede social. Confira AQUI o anúncio de Guerra.

A regra do jogo

Qualquer pessoa ou organização que queira fazer anúncios relacionados à política ou eleições no Facebook ou no Instagram no Brasil precisará primeiro confirmar sua identidade e que tem uma residência no país (AQUI=). Os anunciantes terão a opção de fornecer número do CNPJ ou CPF.

Após confirmar sua identidade, o anunciante poderá criar um aviso e selecionar os rótulos “Pago Por” ou “Propaganda Eleitoral”, dependendo do tipo de campanha e sendo observadas, pelos anunciantes, as necessidades de adequação à legislação local. As informações fornecidas ficarão disponíveis no topo de cada anúncio ao clicar no ícone “i”.

Além disso, anunciantes autorizados a veicular anúncios políticos e eleitorais terão esses conteúdos pagos armazenados na Biblioteca de Anúncios (AQUI=) por sete anos. Lá, as pessoas podem saber mais sobre o anúncio, como uma estimativa de pessoas alcançadas e valor gasto, e dados demográficos incluindo idade, gênero e localização das pessoas que visualizaram o anúncio.

Fonte: Facebook

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo