Destaque

ELEIÇÕES 2020. Problemas para Cechin: saída do Avante, Podemos balança e PRTB está descontente

Avante definiu sua saída da Frente Trabalhista. Partido anunciará seu future eleitoral em convenção que acontece nesta sexta-feira (11)

Por MAIQUEL ROSAURO (com foto de Divulgação), da Equipe do Site

Acabou a lua de mel da Frente Abraça Santa Maria. As convenções municipais do PP e do MDB, que serão realizadas nesta sexta-feira (11), perderam um pouco do brilho de outrora. Após meses construindo uma aliança pluripartidária, o vice-prefeito e pré-candidato ao Executivo, Sergio Cechin (PP), e seu vice, o vereador Francisco Harrisson (MDB), veem agora seus aliados pularem da barca às vésperas das convenções.

O presidente municipal do Avante, Moacir Alves, informou que a legenda está fora da coligação. Segundo ele, não há um motivo especial para a saída da Frente, mas uma decisão interna do partido, cuja convenção também ocorrerá nesta sexta (11).

“Já fui pré-candidato a prefeito por duas vezes, agora é hora de preparar o Avante para o futuro. Deveremos amanhã (hoje) confirmar presença em coligação que estará apta a responder às necessidades de Santa Maria”, afirma Alves.

O Podemos, outra legenda que estava há meses ao lado de Cechin, também cogita sair. O presidente municipal da agremiação, Paulo Xavier, confirma esta possibilidade. A convenção do partido ocorrerá no apagar das luzes do prazo legal para as convenções: dia 16 de setembro, às 19h.

Questionado sobre o motivo que faz a permanência do Podemos balançar na coligação, Xavier respondeu desta forma:

“Estamos fechando eixos mínimos de progresso de Santa Maria junto às políticas sociais para a comunidade santa-mariense”.

Se deixar o abraço de Cechin, o destino da sigla será a coligação do prefeito Jorge Pozzobom (PSDB). O secretário-geral do Podemos/RS, Marco Vieira, esteve reunido com o tucano e vê com bons olhos a mudança de rumo.

E se não abrir o olho Cechin pode também acabar perdendo o PRTB. O Site conversou com o presidente municipal da legenda, Manoel Augusto Torres, o qual disse não ver, hoje, o partido ausente da coligação. Porém, demonstrou descontentamento com aglomeração de partidos na aliança.

“O PRTB, hoje, está na Frente Abraça Santa Maria porque acredita que é o melhor para a cidade. No momento em que deixar de ser o melhor para a cidade, o PRTB se retira. Temos algumas divergências por ser um aglomerado de muitos partidos e a única unanimidade é o candidato a prefeito”, afirma Torres.

A convenção municipal do PRTB ainda não tem data definida, mas, por óbvio, ocorrerá até quarta (16).

Com o Avante fora e o Podemos balançando, a Frente Abraça Santa Maria ainda conta com PP, MDB, PL, Solidariedade, PRTB e Patriota. O PROS anunciou seu retorno (AQUI), mas terá que correr contra o tempo. O novo dirigente da sigla, Tiago Fernandes, tem menos de uma semana para formalizar a nova Executiva e realizar a convenção municipal.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

5 Comentários

  1. Cladistone tem vantagem. Só que a saída do Avante e Podemos é irrelevante. Coisa mais óbvia. MDB tem estrutura de partido, coisa que os que saíram não tem, não tem nomes para agregar votos ainda por cima. São dois partidos nanicos.
    Pode até ser noticia, mas o destaque só se explica pelo ‘engajamento’ do site.

  2. Acredito numa situação que muitos acharão estranha. O Tiago Fernandes é afilhado politico de Fabiano Pereira, ou estou enganado? Em sendo ele, deverá ir para onde Fabiano for, pois tentará fortalecê-lo. Mas realmente o que temos de concreto é que as lideranças partidárias precisam aprender a conversar e, principalmente, ouvir. O que percebemos é o excesso de estrelismo nos candidatos e lideres partidários, o que destrói alianças ou apoios.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo