Claudemir PereiraJornalismo

COMENTÁRIO DO DIA. Consulta popular? Como???

Com um minuto de duração, o comentário do editor, originalmente divulgado há uma hora, na Rádio Antena 1. Diariamente, de segunda a sexta, ele é reproduzido aqui, com a autorização da direção da emissora. Clique no link:

Artigos relacionados

ATENÇÃO


1) Tua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Um Comentário

  1. A do desarmamento é a mais conhecida. Governo petista mandou a maioria da população as favas.
    Fizeram outra pesquisa eleitoral registrada na justiça. Facil de achar na web. Nenhum espanto e, se tivesse que apostar, já saberia em quem colocar o dinheiro. Apesar do aviso de que não se deve levar em conta as mesmas feito pelo esperto. Segunda vaga no segundo turno provavelmente será decidido pela abstenção. Provavelmente é palavra que se usa antes de uma suposição para a qual não é possível apresentar provas, é a novilingua. Mais ou menos como ‘vou fazer declaração polemica’, geralmente antecede uma bobagem sem importância. Divago. Por isto o ‘se votar em branco, anular o voto, não votar, vai crescer pelo nas mãos’. E os que acreditam em ‘dever de cidadão’? Podem continuar pregando, ‘dever de cidadão’ sempre rende risadas de um trouxa (ou do ‘esperto’) que ainda crê que exista muita gente que nesta bobagem acredite. Quantos ‘que’s’ dá para usar numa frase falando nisto?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo