DestaqueSanta Maria

MEMÓRIA. Morre a cantora Deborah Rosa, 45 anos

Causa do óbito, ocorrido nesta quarta-feira (3), ainda não foi informado

Cantora e compositora Deborah Rosa tem intensa atuação na cultura santa-mariense. Foto Divulgação

Por Maiquel Rosauro

Um dia triste para a cultura gaúcha. A cantora e compositora santa-mariense, Deborah Rosa, 45 anos, morreu na manhã desta quarta-feira (3). A causa do óbito ainda não foi informado.

Bacharel em Comunicação Social – Relações Públicas pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Deborah é reconhecida por seu talento artístico e sua voz marcante.

Abaixo, confira a trajetória da cantora relatada em seu site:

De uma família de artistas, avô materno compositor, pai seresteiro, mãe Artista Plástica e irmão guitarrista, Deborah Rosa tem como berço artístico a cidade Santa Maria. É cantora e intérprete e reconhecida pelo seu talento em esfera regional.

Bacharel em Comunicação Social, Relações Públicas pela Universidade Federal de Santa Maria, desenvolveu atividades no cenário Cultural, junto a TV Campus/UFSM, a Associação dos Artista Plásticos, assessorou Músicos, foi Gerente de Marketing do primeiro Shopping de Santa Maria e Diretora do Museu de Artes. O tempo passou e lá se vão 20 anos do seu envolvimento com a música e projetos ligados a esse universo particular e cheio de sonoridades.

As reuniões dos colegas da faculdade de comunicação, com as cantorias ainda tímidas, deram lugar aos primeiros desafios. Participou, com destaque, no show da Big Banda Hightime Blues 1998.

A convite do ator global Roberto Bomtempo, participou da Turnê Sul da Peça “Raul fora da Lei”, apresentada em Porto Alegre, no Festival Porto Alegre em Cena, no ano de 1999. Logo em seguida, participou de festivais como o Tápias, no Rio de Janeiro, e Festival Internacional de Sorocaba, no interior paulista, com a Cia de Dança Cidade de Santa Maria.

Participou do Musical Imembuy, alusivo aos 150 anos da cidade de Santa Maria e de outros espetáculos como Cheios de Bossa, O Tempo Não para – Especial Cazuza e Santa Maria canta Elis, o que lhe rendeu um maior reconhecimento.

Em 2011, produz seu primeiro espetáculo piloto Deborah Rosa Encanta Maria Bethânia. Espetáculo de destaque em função da pesquisa musical, Direção de Arte e arranjos musicais que teve a participação da Associação CUICA – Grupo de Percussão.

Já na Capital do Estado, a cantora buscou novos públicos. O charmoso Teatro de Arena foi o escolhido para a estreia do Projeto Um passeio pela música brasileira onde mostrou a versatilidade e as influências que a acompanharam desde sempre.

Participou de gravações de diversos Cd´s de músicos locais e regional, de vários estilos como “Pylla Carbono 14” (Rock), “One More Drink, One More Night” – Banda Red House (Blues), “Quero Mais” – Rafael Prattes (Sertanejo), “Banda Tia Sú” (Blues Rock), “El Negro” (Rock) entre outros.

Em 2013, com reedição em 2014, Claridade – Uma voz a Clara Nunes, foi além. Com direção de Ana Lucia Silva, uniu a religiosidade da cantora Mineira com as influências de Deborah Rosa num lindo espetáculo cheio de emoção e luz.

A veia tradicionalista lhe rendeu em 2012 o prêmio Melhor Intérprete Vocal Solista do RS, no maior Festival de Arte e Tradição – ENART. Em comemoração ao prêmio a cantora produziu seu primeiro espetáculo regional, Camafeu – O meu som do sul, com clássicos resgatados dos festivais gaúchos no Theatro Treze de Maio em 2013.

O ano de 2014, além dos projetos ligados a cultura gaúcha para crianças, a reedição do Claridade, a artista encara a estrada com força total. Na capital, o Centro Meme recebe o Projeto Na linha do Mar e a cantora para uma temporada no período da Copa do Mundo em Junho. E a Casa de Cultura Mário Quintana recebe Um passeio pela Música Brasileira no Teatro Carlos Carvalho. A serra gaúcha recebeu, em outubro, Na linha do Mar e Tributo a Elis, no conceituado Centro Cultural Ordovás. Para fechar o ano, o Palácio dos Festivais, em Gramado, na abertura do FESTURIS 2014 foi o palco para mais uma momento inesquecível na carreira da artista.

Em maio de 2015, lança seu primeiro EP “Princesa Negra” com canções do seu repertório para divulgar o trabalho. O Theatro Treze de Maio recebeu o espetáculo Divas do Rádio. Uma montagem que resgatou importantes passagens da Era de Ouro do Rádio, durante as décadas de 30 a 50, período marcante tanto para a história da música popular brasileira, quanto para a cultura nacional. Com inspiração nas antigas cantoras, famosas pelas rádionovelas e programas musicais de auditório, a cantora Deborah Rosa se aventurou a fazer uma viagem nas suas raízes. Além de resgatar parte de um glorioso passado, o charme dos programas, o glamour do Rádio, músicas e compositores que fizeram história, o show fez a festa dos saudosistas e serviu de iniciação dos mais jovens nos anos de ouro do rádio brasileiro. Na nova investida nesse veio riquíssimo da história do rádio, Deborah e banda executaram canções que marcaram época no éter, como diriam os bons e velhos locutores. Já apresentado no Theatro Treze de Maio, Theatro do Complexo Histórico Santa Casa, Café Fon Fon e Teatro Bruno Kiefer na CCMQ em POA.

No mesmo mês, na cidade de Osório, conquistou o Troféu Origens na 25ª Edição da Tafona da Canção Nativista. Importante prêmio concedido pelo Programa Galpão Crioulo/Grupo RBS. Paralelo a todas as atividades populares, é integrante o Musical do D.T. Querência das Dores onde trabalha a música tradicionalista gaúcha.

No ano de 2016 foi convidada para abrir o show da cantora Alcione na turnê Boletos em Santa Maria, levou seus projetos para o Café Fon Fon, “Musical Évora” no Teatro São Pedro e para a tradicional e conceituada Cia de Arte de Porto Alegre.

2017 foi um ano de grande colheita, a cantora circulou com seus projetos pelo estado, a parceria com a Cia Armazém se solidifica, “Divas do Rádio” chegou ao Teatro do Centro Cultural Santa Casa e, em abril no Bruno Kiefer na CCMQ; o Venezianos Pub Café recebeu “Tá-Hi” no seu Sábado Cedo, – um passeio pelos clássicos de Carmem Miranda – ; lançou seu segundo EP “Saravá” junto ao show “Samba e Saravá” que estreou em Santa Maria, chegou a Cia de Arte novamente em maio e chegou a Casa de Cultura Mário Quintana com temporada de dois dias em maio de 2018.

2018 ainda mais visibilidade no estado com espetáculos em importantes palco do Estado. Multipalco do Teatro São Pedro, Teatro Bruno Kiefer e Carlos Carvalho na CCMQ, Café Fon Fon, Teatro Renascença reforçam a expressão da Artista.

Nasce “Lendas do Sul” um projeto lindo da Armazém Cultura e Entretenimento que rodou cidades do estado.

Para mais informações sobre a trajetória de Deborah Rosa, clique aqui.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Um Comentário

  1. Vai ! Segura na mão de Deus e vai brilhar no céu, conquistar os palcos celestiais. Agora você é LUZ, Deusa de Ébano !! Um beijo no coração!! Fica em PAZ !!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo