DestaqueSanta Maria

CÂMARA. Ex-tesoureiro do PSB de Santa Maria protocola denúncia contra vereador Paulo Ricardo

Defesa do edil afirma que as denúncias contra o parlamentar “são absurdas”

Denunciante solicita que o Legislativo santa-mariense receba a denúncia, realize a leitura da acusação em Plenário e abra processo que pode culminar na cassação do mandato do vereador Paulo Ricardo, do PSB (Foto Gabriela Neto/Câmara)

Por Maiquel Rosauro

O ex-tesoureiro do PSB de Santa Maria, Kleber Colvero, protocolou uma nova denúncia no Legislativo de Santa Maria, nesta quarta-feira (23). Desta vez, o alvo é o vereador Paulo Ricardo Pedroso (PSB). Em 10 de junho, Colvero já havia apresentando na Casa uma acusação contra a chefe de gabinete do parlamentar, Ana Paula Machado Gonçalves (AQUI).

O denunciante, que trabalhou na campanha de Paulo Ricardo e atuou como seu assessor na Câmara, entre janeiro e maio, alega que o vereador obrigava seus cargos de confiança (CCs) a pagarem algumas despesas do gabinete. Ele cita como exemplo lanches e gastos de viagens a serviço (combustível e pedágios) utilizando seus carros particulares.

“Agindo desse modo, em tese, o vereador adaptou um tipo novo de rachadinha para manter seu gabinete móvel em atuação as custas dos salários de seus assessores”, diz trecho da denúncia.

No documento, Colvero destaca que, no início deste ano, o vereador informou nas redes sociais sua renúncia às cotas de gabinete, o que incluiu verbas para telefonia, selos, material de escritório e combustível.

Colvero também acusa o vereador de assédio moral, relatando que era obrigado a tentar conseguir emprego, no Governo do Estado, para a irmã do vereador, após ela ter sido exonerada na Prefeitura de Santa Maria, uma vez que Paulo Ricardo faz parte do grupo de oposição no Parlamento. Também afirma que sofria pressão para tentar transferir a noiva do edil de um cargo em São Pedro do Sul para Santa Maria.

O denunciante cita ainda uma suposta invasão de seu WhatsApp, a mando de Paulo Ricardo, e relata que os assessores possuíam a função pública confundida com a privada, realizando serviços que não condizem com o cargo. Colvero cita como exemplo a busca de provas em uma escola (Paulo Ricardo é professor), em seu carro particular, e a busca de roupas em uma lavanderia.

Ao final do documento, Colvero solicita que a Casa receba a denúncia, realize a leitura em Plenário e abra um processo de investigação que pode culminar na perda do cargo do parlamentar.

Além da representação no Parlamento, o denunciante registrou ocorrência na Polícia Civil, em 7 de junho, pela invasão do seu WhatsApp e por ser obrigado a arcar com parte das despesas do gabinete.

Outro lado

O Site entrou em contato com o advogado Daniel Tonetto, que atua na defesa do vereador. Ele qualificou a denúncia como absurda.

“A denúncia é totalmente absurda e serão tomadas todas as medidas cabíveis. O vereador Paulo Ricardo é um homem decente e honesto e isso será facilmente demonstrado”, afirmou Tonetto.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo