DestaqueMulherSegurança

MULHER. Patrulhas Maria da Penha ganham mais 460 brigadianos prontos para a atenção especializada

Curso de formação aconteceu em 16 turmas nos Comandos Regionais da BM

Qualificação foi realizada entre os dias 2 e 27 de agosto em 16 turmas espalhadas pelos CRPOs da Brigada (foto Divulgação/SSP)

Por Lurdinha Matos / Da Assessoria de Comunicação da Secretaria de Segurança Pública/RS

A Brigada Militar realizou, nesta terça-feira (31/08), a formatura de 460 policiais militares aprovados no Curso de Capacitação Patrulha Maria da Penha (PMP). Promovido ao longo do mês de agosto, em alusão ao mês de conscientização pelo fim da violência contra a mulher e em celebração pelos 15 anos da Lei Maria da Penha, a capacitação permitirá a ampliação da rede de apoio para as mulheres. A solenidade teve a presença do secretário adjunto da Secretaria da Segurança Pública, coronel Marcelo Gomes Frota, do comandante-geral da BM, coronel Vanius Cesar Santarosa, e da coordenadora das PMPs, major Karine Brum.

Os novos patrulheiros receberam seus certificados após a conclusão do curso desenvolvido entre 2 e 27 agosto. Ao todo, foram 16 turmas espalhadas pelos Comandos Regionais de Policiamento Ostensivo (CPROs) de diversas regiões do Estado. Com esta iniciativa, a BM buscou aprimorar os conhecimentos dos militares para o atendimento especializado no maior número de municípios do Estado.

O curso foi planejado de acordo com a Matriz Curricular Nacional Para Profissionais de Segurança Pública, da Secretaria Nacional da Segurança Pública (Senasp), e também as atividades propostas no Manual de Princípios e Práticas de Formação de Policiais para o Atendimento às Mulheres em Situação de Violência, do Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP). Ao todo, a primeira edição de 2021 do curso teve 30 horas/aula.

O secretário adjunto da SSP celebrou a iniciativa da BM em fortalecer o trabalho das PMPs para defender as mulheres que precisam de ajuda. “O crime contra as mulheres é um indicador que resiste muito a ceder, por todas as características que cercam essa violência. Criar situações novas para qualificar o atendimento demonstra a dedicação dos nossos policiais militares para proteger a população gaúcha”, complementou o coronel Frota.

A partir da capacitação, esses PMs estão especialmente preparados para atuar pelo Programa Patrulha Maria da Penha, que desempenha o atendimento de ocorrências de violência doméstica e familiar e realiza visitas de acompanhamento nas casas de vítimas amparadas por medida protetiva de urgência.

O comandante-geral da BM enfatizou a importância da ampliação no número de policiais capacitados ao atendimento especializado, para que as mulheres se sintam acolhidas e seguras para denunciar. “Esses policiais que estão aqui hoje se formando farão toda a diferença na vida das mulheres, de modo efetivo para aquelas atendidas, e de forma simbólica para todas as outras”, reforçou o coronel Santarosa.

A agregação de mais profissionais capacitados permitirá o aprimoramento das ações nas regiões em que as PMPs estão presentes e a ampliação da rede de serviço para aqueles municípios que ainda não a possuem. Até 2019, as PMPs estavam presentes em 46 municípios do Estado. Nos últimos dois anos, esse número subiu para 114, representando um aumento de 148%.

A major Karine reforçou o empenho da BM para prestar um serviço qualificado às mulheres, que as tire do ciclo da violência de forma permanente. “A qualificação constante de novos patrulheiros é essencial para aprimorar e expandir o alcance da Patrulha Maria da Penha. Hoje, nossas patrulhas atendem 114 cidades, mas buscamos alcançar o Estado inteiro para acolher quem precisa de um atendimento especializado”, enfatizou a coordenadora das PMPs.

PARA LER A ÍNTEGRA, NO ORIGINAL, CLIQUE AQUI.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo