DestaqueEstado

KISS. Familiares das vitimas ficarão com 50 dos 74 lugares no local do júri, a partir de 1ª de dezembro

AVTSM deverá promover revezamento. Número foi acordado com o Judiciário

Com informações da Assessoria de Imprensa da AVTSM / Por Gabrielle Righi

Na última sexta feira, 15, a Associação de Familiares de Vítimas e Sobreviventes da Tragédia de Santa Maria, AVTSM, teve reuniões com o Magistrado que irá presidir o júri dos réus criminais da Kiss, Orlando Faccini Neto e com o presidente do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, o desembargador Voltaire de Lima Moraes.

A finalidade dos encontros foi de tratar do pedido de que os familiares e sobreviventes tivessem prioridade para assistir ao júri, sendo confirmados 50, dos 74 lugares, para AVTSM.

Como o julgamento será realizado em três turnos, haverá revezamento entre os presentes. A AVTSM está trabalhando em parceria com outras instituições, para conseguir hospedagens para os familiares e os sobreviventes que precisarem.

Acréscimo do Oditor: O julgamento popular acontece a partir de 1º de dezembro, no Foro Central (prédio 1), na capital do Estado. Imagina-se que possa durar até 15 dias.

Serão julgados os réus Elissandro Callegaro Spohr e Mauro Londero Hoffmann, sócios da boate, e Marcelo de Jesus dos Santos Luciano Bonilha Leão, integrantes da banda que tocava na noite da tragédia. Eles respondem por homicídio simples, 242 vezes consumado e 636 vezes tentado (pelo número de feridos).

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo