Câmara de VereadoresDestaque

CÂMARA. Parlamento retoma expediente presencial na segunda-feira (17), mas sem público externo

Visitantes poderão circular pela Câmara apenas a partir de 24 de janeiro

Presidente Valdir Oliveira informou que seis servidores da Casa testaram positivo para covid-19. Foto Guilherme Superti / Câmara

Por Maiquel Rosauro

A Câmara de Vereadores de Santa Maria retomará o expediente presencial na segunda-feira (17), mas o público externo só poderá circular pelos corredores do Parlamento a partir de 24 de janeiro. Uma nova Ordem de Serviço foi publicada nesta quinta-feira (13), após reunião da Mesa Diretora. Em live realizada nesta tarde, o presidente da Casa, Valdir Oliveira (PT), informou que seis servidores do Poder Legislativo testaram positivo para covid-19.

Na próxima semana, entre segunda (17) e sexta-feira (21), os servidores exercerão as atividades na forma presencial, mas em expediente exclusivamente interno. Entre 24 de janeiro e 19 de fevereiro, o Parlamento terá expediente presencial com atendimento de público externo (acesso restrito de três visitantes por vez). Durante este período, de recesso parlamentar, a Casa funcionará das 7h30min às 13h30min, de segunda a sexta-feira.

Além disso, entre 17 de janeiro e 19 de fevereiro, o regime de trabalho no Legislativo ocorrerá em modelo híbrido. Deverão estar em regime presencial de trabalho número suficiente de servidores e estagiários para atendimento das demandas dos setores e gabinetes.

De acordo com Valdir, dos cinco membros da Mesa Diretora, apenas Pablo Pacheco (PP) foi contra as novas medidas.

Além dos seis servidores positivados, ainda são aguardados os resultados dos testes de outros funcionários.

“Esta nova Ordem de Serviço traz, principalmente, os protocolos necessários para que possamos ter essa prevenção”, disse Valdir.

O petista também afirmou que, na manhã de segunda (17), ocorrerá testagem rápida de covid-19 aos servidores da Casa. A ação será executada em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde.

Valdir afirmou ainda que o atendimento ao público externo, na próxima semana, poderá ser feito na recepção. O que será proibido é a circulação de visitantes no interior da Casa.

Esta semana, o Legislativo atuou no sistema de home-office devido ao surgimento de casos de covid-19 entre os servidores. O fato gerou protesto de vereadores contrários à medida, que instalaram mesas e cadeiras em frente ao Parlamento para atender ao público.

Confira a nova Ordem de Serviço.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Um Comentário

  1. Parlamento fazendo o de sempre, nada de útil. Alás, alguém já viu edil esperando na fila para se vacinar? Prefeitura fez mais uma c@g@d@, anteciparam o reforço dois meses, voluntários teoricamente fora da aldeia (dái não convocaram, daí não aparece ninguém mesmo; tem gente que está por aí), GM não organiza as filas. Situação que deve piorar, vacinação das crianças tem que ser em locais diferentes para não haver risco de mistura de vacinas (a concentração do liquido é diferente). Falta ‘penso’ no paço municipal. Há tem imbecis falando que ‘os negacionistas se apavoraram com a Omega e correram se vacinar por isto deu fila’. Esta entra na ‘ESA não veio para cá porque o Cavalão queria colocar a escola na terra do Molusco com L,’. A opinião de um burro é o zurro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo