DestaqueSanta Maria

NA REDE. Em defesa da economia solidária, “live” com Irmã Lourdes Dill e artistas será neste sábado

Evento é realizado pelo Comitê Popular e será transmitido pela TV Ovo e H20

Irmã Lourdes Dill atuou durante os últimos 35 anos com economia solidária em Santa Maria (Foto Arquivo Sedufsm)

Por Fritz R. Nunes (com informações do Comitê Popular em Defesa da EcoSol) / Da Assessoria da Sedufsm

O Comitê Popular em Defesa da Economia Solidária de Santa Maria realiza uma live no próximo sábado, 26 de março, às 20h. O evento virtual será transmitido pelos canais no Youtube da TV Ovo e da H20 e contará com a presença da Irmã Lourdes Dill e de apresentações culturais. O título da live é em defesa de uma economia popular ambientalmente sustentável e comprometida com a justiça social. A atividade tem o apoio da Sedufsm e da Rede Sina.

A live contará com a participação de agricultores e agricultoras familiares, feirantes e artesãos, que relembrarão a trajetória da Economia Solidária em Santa Maria, ao longo dos últimos 35 anos, considerada uma herança do arcebispo, Dom Ivo Lorscheiter, e que vem sendo preservada pela comunidade. Ocorrerão ainda manifestações de intelectuais e personalidades refletindo sobre o significado de projetos como o Esperança Cooesperança e da Feicoop, que tornaram o município internacionalmente conhecido como a Capital da Economia Solidária.

Esse evento, conforme explica o Comitê Popular, é parte de uma série de ações que vem sendo empreendidas por grupos em todo o Brasil no contexto de transferência da Irmã Lourdes Dill de Santa Maria para o Maranhão, conforme anunciado em dezembro de 2021.

Desde então, uma série de organizações, como o Fórum Gaúcho de Economia Solidária e a Cáritas, vêm procurando sensibilizar a Arquidiocese de Santa Maria e a Congregação das Filhas do Amor Divino quanto ao papel estratégico da permanência da religiosa em Santa Maria, município no qual esta é uma das principais articuladoras da Economia Solidária e de diversas causas sociais.

Mobilização contra a transferência

Em Santa Maria, após a divulgação da informação sobre a transferência da religiosa, atualmente com 70 anos de idade, foi criado o Comitê Popular em Defesa da Economia Solidária, reunindo uma diversidade de trabalhadores e trabalhadoras, sindicatos e cooperativas, movimentos populares dos mais diversos matizes, além de intelectuais, pesquisadores e artistas.

No início deste mês, o Comitê foi recebido pelo arcebispo atual e, na oportunidade, apresentou-lhe mais de 20 Cartas e Manifestos de grupos e organizações locais e nacionais.  Em comum, todas clamavam por diálogo e indicavam preocupação com a continuidade das ações que promovem acolhimento e emancipação dos mais pobres e vulneráveis, sobretudo no contexto da pandemia da COVID-19 e do agravamento do desemprego, da fome e da miséria. Além disso, solicitavam a permanência da Irmã Lourdes Dill em Santa Maria.

Momento artístico

Uma diversidade de artistas também se mobilizou para participar da live, que terá uma perspectiva político-poética. Além disso, um espaço de reflexão fraterna sobre os desafios do presente e as ações necessárias para a preservação de um legado que se confunde com a história e a identidade de Santa Maria.

Dentre os (as) artistas que participarão da live, citamos Antônio Gringo, Gisele Guimarães e Maninho Pinheiro, Paola Matos.

O que? Live em defesa da Economia Solidária de Santa Maria para o Mundo

Quando? Dia 26 de março, às 20 h

Onde:  Canais no Youtube da TV OVO e da H2O.

PARA LER A ÍNTEGRA, NO ORIGINAL, CLIQUE AQUI.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo