DestaqueEleições 2022

ELEIÇÕES 2022. Sobram entraves para destrancar possíveis alianças. Vale para MDB, PSDB, PT e PSB

Busca de acordo enfrenta resistências no MDB e na frente ampla de esquerda

Gabriel Souza reunido com prefeitos do MDB, em Restinga Sêca, para posse do presidente da Famurs (Foto Joel Vargas/Divulgação)

Reproduzido do Site do Correio do Povo / Texto assinado pela colunista Taline Oppitz

A política é dinâmica e os cenários podem ser alterados, mas duas situações vêm se sustentando no mapa eleitoral do Estado apesar das articulações em contrário. A pré-candidatura de Gabriel Souza (MDB) ao Piratini é uma delas.

Todo o processo em torno da viabilização de uma terceira via nacionalmente, com o apoio do PSDB à pré-candidatura da senadora Simone Tebet (MDB), foi marcado por uma sucessão de erros políticos que beiram o amadorismo. Como resultado, a pressão para que o MDB gaúcho recuasse do protagonismo para apoiar Eduardo Leite (PSDB), surtiu o resultado contrário.

Por motivos distintos, mas com o mesmo objetivo, o de resistência, alas do partido se uniram para defender a pré-candidatura. Incluindo as de lideranças que podem ser consideradas mais que adversárias internas do deputado. Na noite de segunda-feira, Gabriel Souza esteve com prefeitos do partido (foto), que se reuniram em Restinga Sêca para a posse do colega Paulo Ricardo Salerno no comando da Famurs. O clima foi de unanimidade na defesa do protagonismo.

Outra peça do cenário gaúcho envolve a tentativa de viabilizar a frente ampla, com a adesão do PSB, que tem Beto Albuquerque como pré-candidato. A manifestação do petista Luiz Fernando Mainardi, de que as posições políticas do PSB nos últimos anos impedem o apoio do PT, mas que Beto poderia concorrer ao Senado, ampliaram a tensão. Segundo Beto, Mainardi deveria saber que não existe candidato bom para uma coisa e ruim para outra.

“É preciso escolher gestores experientes, com capacidade de diálogo amplo, não só para sua bolha, e que seja competente. Somente estou disponível para ser candidato a governador. Me preparei muito para isto. O Geraldo Alckmin (PSB) é bom para ser vice do Lula, mas o Beto mais ou menos aqui?, disse o socialista. Beto afirmou ainda que esta será sua última eleição e que, se vencer, cumprirá os quatro anos de mandato. “Não vou à reeleição. Eu tenho palavra”.

PARA LER NO ORIGINAL, CLIQUE AQUI.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo